Exposição de Arte Postal “NO MEIO DO CAMINHO” abre em Santiago dia 19 na Galería Gran Refúgio

WhatsApp Image 2020-01-06 at 17.12.35

O Instituto Imersão Latina – IMEL, em parceria com os coletivos:  Escritura Migrante,  Uará e Flowrida Escuela. realiza na Galeria Gran Refugio – em Santiago, Chile – a itinerância da exposição internacional de Arte Postal “No Meio do Caminho”. A mostra integra a programação do III Encuentro Internacional de Escritura Migrante, com o tema “Poéticas Transculturales”, a realizar-se de 15 a 20 de janeiro de 2020 na capital chilena.

A EXPOSIÇÃO

Esta exposição foi inaugurada inicialmente como atração da 17ª Semana Literária Drummondiana, numa homenagem ao grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, na terra natal do poeta, em Itabira (MG) Brasil. É constituída por obras de 92 autores de 23 países, que apresentam suas criações no sistema da Arte Postal, em interpretações livres sobre o emblemático poema de Drummond: “No Meio do Caminho”. Será agora apresentada em Santiago, no Chile, na programação do III Encuentro Internacional de Escritura Migrante – “Poeticas Culturales”. A curadoria é assinada por Tchello d’Barros (RJ), com coordenação de Brenda Marques Pena (MG), idealizadora do projeto via Instituto Imersão Latina – IMEL. De acordo com o curador, a exposição “é uma ação que visa reunir criações poéticas e imagéticas de diferentes origens em nosso planeta, convergindo com o poema de Drummond e ampliando o tema para questões como as migrações, os refugiados e o momento atual da geopolítica global”.

ARTISTAS | PAÍSES

ALEMANHA: Horst Tress – Lars Schumacher – Lutz Beeke – PC Tictac – Hans Braumüller – Susanne Schumacher | ARGENTINA: Alejandra Besozzi – Ana Montenegro – Claudio Mangifiesta – Marcela Peral – Negreira Patricia   Walter Brovia | ÁUSTRIA: Gunter Vallaster – Horvath Piroska – Klaus Pinter | BÉLGICA: The Wasted Angel – R. Ramon | BRASIL: Al-Chaer – Almandrade – Bruce Svain – Constança Lucas – Dorian Ribas Marinho – Ermínia Marasca Soccol – Eni Ilis – Iara Abreu – Janyce Soares de Oliveira – Joaquim Branco – Gringo Carioca – Hugo Pontes – Jane Beatriz Sperandio Balconi – Jussara Leite Kronbauer – Karla K. Lipp – Maria Caruso – Maria do Carmo Toniolo Huhn – Maria Flor – Maria Julieta Damasceno Ferreira – Maria de Lourdes Rabello Villares – Maria Tereza Penna – Marithê Bergamin – Martina Berger – Ricardo Alfaya – Roberto Keppler – Sirlei Caetano – Tchello d’Barros – Terezinha Fogliato Lima – Coletivo Gralha Azul | CANADÁ: Christopher Willard | CHILE: Antonio Cares | DINAMARCA: Marina Salmaso – Poul Poclage – Victor Vidal | ESPANHA: Antonia Mayol Castelló – Daniel de Culla – Ibirico – Ferran Destemple – Juan López de Ael – Miguel Jimenez – Pedro Bericat – Rafael Gonzales – Sabela Baña | EUA: Daniel C. Boyer – Henry Guild – John M. Bennet – Michelangelo Mayo – Steve Dalachinsky – Reid Wood – | ESTÔNIA: Ilmar Kruusamãe | FINLÂNDIA: Anja Matilla-Tolvanen – John Gayer – Paul Tililã | FRANÇA: André Robèr – Richard Baudet | GRÉCIA: Katerina Nikoltsou | ITÁLIA: Bruno Chiarlone – Cinzia Farina – Daniele Virgílio – Franco Ballabeni – Giovanni e Renata StraDA DA – Maya Lopez Muro – Oronzo Liuzzi – Roman Bueri | JAPÃO: Keiichi Nakamura – Keigo Hara – Tohei Mano | NORUEGA: Jaromir Svozilik  | POLÔNIA: Miron Tee | PORTO RICO: Esteban Valdés | PORTUGAL: Avelino Rocha – Fernando Aguiar | RÚSSIA: Alexander Limarev | TURQUIA: Derya Avci | URUGUAI: Clemente Padin

TEXTO CURATORIAL

TINHA A ARTE POSTAL NO MEIO DO CAMINHO

 por Tchello d’Barros*

 

                                           “Disseram que jamais atravessaríamos a fronteira.

                                                                                  E agora, aqui estamos nós.”

                                                                                                                      Corey Taylor

 

“No Meio do Caminho” apresenta um diálogo entre textos e imagens de diferentes linguagens com o sistema da Arte Postal, estabelecendo um espaço específico – o Cartão Postal – como lugar de encontro com o leitor/visualizador das obras. Tal pluralidade de linguagens, desta vez homenageia o grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, em releituras textuais e visuais de seu emblemático poema.

Um dia, o filho maior de da cidade de Itabira encontrou seu lugar na metrópole, mas qual o lugar ideal da Arte na contemporaneidade? Podemos mencionar as exposições, livros, espaços culturais, Internet e mídias digitais, mas antes de tudo talvez possamos considerar que seja um lugar interno em nós, onde a arte possa inquietar, comunicar e causar reações estéticas. A Arte Postal é uma sobrevivente de nossa turbulenta passagem para a pós-modernidade, abriu seu espaço na era digital, cruzou a linha do novo milênio, chegou aos nossos dias reinventando-se sempre mais, transgressora, crítica e política. E não veio apenas para ficar, mas para ampliar seu arco temático, seja pelo viés do humor, seja pela crítica mordaz nas abordagens dos grandes temas da humanidade, desde tensões geopolíticas, desníveis socioeconômicos, as relações humanas e até mesmo aspectos inusitados do cotidiano.

A Arte Postal – Arte Correo, Mail Art – vem ampliando suas redes de trocas simbólicas em todos os continentes, aumentando cada vez mais seus adeptos, e, para além das mostras coletivas, vem potencializando seus públicos de forma exponencial nos meios virtuais. Esta modalidade está mais viva do que nunca, num constante tráfico de poéticas diversas, num intercâmbio de obras, livres das amarras acadêmicas, das demandas de mercado e de engessamentos institucionais.

Atenderam ao chamado desta vez 92 artistas de 23 países, apresentando suas criações em técnicas como desenho, pintura, colagem, infogravura, fotografia, reprografia, assemblages, caligrafia, técnicas mistas, selos autorais e carimbos personalizados. E cada Cartão Postal possui elementos de manufatura que os tornam únicos, em contraponto com a cultura de massa em que nossa sociedade está inserida. O meio desse caminho bifurcou-se em releituras, como escrituras migrantes, trilhando sendas cada vez mais debatidas na atualidade, como Migração, Emigração, Imigração, Refugiados, Fronteira, Aduana, Xenofobia, Geopolítica, Clandestinidade, Percurso, Itinerário, Trajetória, Soberania, Integração, Território, Esperança, Mapa, Bússula, Latitude/Longitude, etc.

Provocar a produção em Arte Postal no cenário brasileiro e internacional, estimular a presença dessas linguagens e suportes nos meios culturais e tensionar aspectos conceituais para uma possível reflexão ou debate, são alguns pontos de partida desta mostra. E, talvez, um ponto de chegada num lugar chamado Arte, seja para quem quer trilhar essa vereda com suas criações, seja apenas para quem ama a arte em todos seus caminhos.

*Tchello d’Barros é Escritor, Artista Visual e Curador
Rio de Janeiro (RJ), Brasil

SERVIÇO

Evento: Exposição de Arte Postal ‘‘No Meio do Caminho’’
no III Encuentro Internacional de Escritura Migrante
Curadoria: Escritor e artista visual Tchello d’Barros – Brasil
Coordenação: Brenda Mar(que)s Pena – Brasil
Instituto Imersão Latina – IMEL
Abertura: 19.Jan.2020. Das 16 às 19 h
Visitação: Até 15.Fev.2019
Local: Galeria Gran Refúgio. Dardinac, 0106 – Providência. Santiago, Chile.
Ingresso: Entrada Franca

Confirme presença:
https://www.facebook.com/events/375785596660407/