Nós da Poesia pelos caminhos da América Latina

Coletivo de autores da antologia organizada pelo Instituto Imersão Latina, com a participação de poetas ativistas culturais. Acompanhe sempre a agenda de eventos literários e de artes integradas do Nós da Poesia no facebook/nosdapoesia e nosdapoesia.blogspot.com Confira »

Criança não é Brinquedo

\\\\\\\"Quem tem presente, pensa no futuro\\\\\\\", com este slogan iniciamos o primeiro projeto do Imersão Latina em 2005 Confira »

Mais de 30 milhões de pessoas são escravizadas diariamente

Crianças e adolescentes migrantes da América Latina são mais vulneráveis ao tráfico humano. Entre na luta contra esta realidade. Confira »

Imersão Latina celebra a diversidade cultural

Para um futuro realmente sustentável tem que se cuidar de preservar a terra e as tradições culturais. Acompanhe sempre pelo blog do Imel nossas atividades e de parceiros. Participe! Na foto: Festa das crianças em Água Lima com a participação do Boi Rosado. Confira »

Residência Imersão Latina recebe artistas latino-americanos em agosto no Brasil

Conosca el proyecto de Residencia Imersão Latina y siga esta experiencia Conheça o projeto de Residência Imersão Latina e acompanhe essa experiência Confira »

 

Instituto Imersão Latina - Imel

Somos uma associação de escritores, jornalistas, produtores culturais, pesquisadores e artistas independentes, formada por ativistas que se preocupam em defender e mostrar toda a diversidade cultural, ambiental e de idéias da América Latina.

Postergamos hasta enero el III Encuentro de Escritura Migrante que será en la capital chilena


El tercero Encuentro Internacional de Escritura Migrante tendrá nueva fecha de realización, lo postergaremos por dos meses, por questiones de seguridad, ya que Chile está pasando por un momento de muchas protestas y cambios.

Realizado por un colectivo de escritura migrante conformado con participantes de 10 países, lo realizaremos, en Santiago, Chile, en varios espacios culturales.

El objetivo general del encuentro es intercambiar propuestas artísticas, el conocimiento cultural y el debate sobre la poética de los escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países desde su nacimiento y, por lo tanto, propone una producción poética nómade y permite la producción cultural de estos escritores y artistas de diferentes países. puede ser conocido y experimentado también por el público participante.

Difundiremos la programación completa y más informaciones del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com

Inscriptos:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antonio Barbosa (Portugal/Francia)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto Román (Chile)
Cláudia Vaca Flores (Bolívia)
Daniel Fernández (Uruguay)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia)
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Jéssica Muñoz (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia/ Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
Rodrigo Eduardo Leiva Cepeda (Chile)
Victoria Ramirez Ruiz (Colombia)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá (Chile)
Silvia Rojas (Bolívia / Chile)
Tchello d´Barros (Brasil)
Uará (Chile/Bolívia)

+ Fiesta de Cierre con poesía y música Rap, Blues/Rock, Forró:

Coke Araya, de Magnolia Blues Rock y invitados
(Participacción: Brenda Marques, de Ablusadas)

Colectivo Flowrida (rap y breakdance)

Da Gota (Forró)

Realización: Poéticas Transculturales y Colectivo de Escritura Migrante.
Corealización: Imersão Latina, Alianza Cultural, Uará y Cultura Viva,
Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección.

El tercero encuentro de la escritura migrante es en el próximo més de noviembre en la capital chilena

PTC3

El tercero Encuentro Internacional de Escritura Migrante se realiza por un colectivo de escritura migrante conformado con participantes de 10 países, de 14 al 17 de noviembre de 2019, en Santiago, Chile, en varios espacios culturales: Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección.

El objetivo general del encuentro es intercambiar propuestas artísticas, el conocimiento cultural y el debate sobre la poética de los escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países desde su nacimiento y, por lo tanto, propone una producción poética de itinerancia y permite la producción cultural de estos escritores y artistas de diferentes países. puede ser conocido y experimentado también por el público participante.

Difundiremos la programación completa y más informaciónes del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com

Confirme presencia y invite amigos: https://www.facebook.com/events/375785596660407/

Inscriptos que presentarán propuestas artísticas en el encuentro:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antonio Barbosa (Portugal/Francia)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto Román (Chile)
Cláudia Vaca Flores (Bolívia)
Daniel Fernández (Uruguay)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia)
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Iván Verdugo (Chile)
Jéssica Muñoz (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia/ Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
Rodrigo Eduardo Leiva Cepeda (Chile)
Victoria Ramirez Ruiz (Colombia)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá (Chile)
Silvia Rojas (Bolívia / Chile)
Tchello d´Barros (Brasil)
+ Fiesta de Cierre con poesía y música Rap, Blues/Rock, Forró:

Coke Araya, de Magnolia Blues Rock y invitados
(Participacción: Brenda Marques, de Ablusadas)

Colectivo Flowrida (rap y breakdance)

Forró da Gota (Forró)

Realización: Poéticas Transculturales y Colectivo de Escritura Migrante,
Corealización: Imersão Latina, Alianza Cultural, Uará y Cultura Viva,
Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección.

Poéticas Transculturales – III Encuentro Internacional de Escritura Migrante tendrá una programación muy especial en Chile

WhatsApp Image 2019-10-06 at 16.57.41

25 participantes inscriptos representando 10 países  participan del encuentro de 14 a 16 de noviembre
Difundiremos la programación completa y más informaciónes del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com
Espacios confirmados: Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección
Realización: Poéticas Transculturales y Encuentro de Escritura Migrante, Imersão Latina, Alianza Cultural, Uará y Cultura Viva
Imagen: Graffitti del Colectivo Flowrida, un de los participantes del encuentro

Inscriptos que presentarán propuestas artísticas en el encuentro:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antonio Barbosa (Portugal/Francia)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto Román (Chile)
Cláudia Cecília Vaca Flores (Bolívia/ Chile)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia)
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Iván Verdugo (Chile)
Jéssica Muñoz (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia/ Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
Rodrigo Eduardo Leiva Cepeda (Chile)
Victoria Ramirez Ruiz (Colombia)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá  (Chile)
Silvia Rojas (Bolívia / Chile)
Tchello d´Barros (Brasil)
+ Fiesta de Cierre con poesía y música Rap, Blues/Rock, Forró
Magnólia Blues Rock
(Participación: Brenda Marques/Ablusadas)
Colectivo Flowrida
Forró da Gota
Música (Rap principalmente) / Baile (breakdance y Afro) / Muralismo y Graffitti

Poéticas Transculturales – III Encuentro de Escritura Migrante abre inscripciónes

PoeticasTransculturales

El tercero Encuentro Internacional de Escritura Migrante se realiza por un colectivo de escritura migrante conformado con participantes de por lo menos cinco países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia y Uruguay, pero abierto a demás participantes. De 14 al 17 de noviembre de 2019, en Santiago, Chile, en varios espacios culturales. El objetivo general del encuentro es intercambiar propuestas artísticas, el conocimiento cultural y el debate sobre la poética de los escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países desde su nacimiento y, por lo tanto, propone una producción poética de itinerancia y permite la producción cultural de estos escritores y artistas de diferentes países. puede ser conocido y experimentado también por el público participante.

Inscripciónes de propuestas hasta 14/09/2019.

Envie las informaciónes abajo para el correo eletrónico: poeticastransculturales2019@gmail.com o en privado en la página: facebook.com/poeticastransculturales:

Proposta/ Propuesta:

Nome / Nombre:

Nacionalidade/ Nacionalidad:

Data de Nascimento / Fecha de nacimiento:

E-mail:

facebook/ instagran o otras redes:

Blog ou algum site com seu trabalho / Blog o sitio com el trabajo

Teléfono/telegram:

País de residência/ País de residencia:

Endereço / Domicilio:

Estado / Localidad:

Cidade/ Distrito / Ciudad/Provincia:

Títulos de livros, revistas a presentar e/0u outras propostas artísticas como exposições e performances/

Títulos de libros o revistas a presentar y/o propuesta artísticas como exposiciónes y performances:

Observações / Observaciónes:

Resultado:

Los seleccionados serán notificados por correo electrónico y toda la información sobre cómo participar se divulgará en: facebook.com/poeticastransculturales y también a través del sitio web imersaolatina.com. La organización no se compromete a pagar los gastos de viaje, alojamiento y alimentación de los participantes. Es importante que la propuesta tenga que ver con la integración cultural entre países, migraciones y transculturalidad. El encuentro recibe diferentes propuestas artísticas relacionados con la escritura: literatura, música, artes visuales, audiovisuales, entre otras propuestas artísticas.

Poéticas Transculturais – III Encontro Internacional de Escritura Migrante abre inscrição

A terceira Reunião Internacional de Escritura Migrante é realizada por um coletivo de escritores composto de participantes de pelo menos cinco países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Uruguai, mas aberto a outros participantes. De 14 a 17 de novembro de 2019, em Santiago do Chile, em vários espaços culturais. O objetivo geral do encontro é trocar propostas artísticas, conhecimento cultural e debate sobre a poética dos escritores intermediários, que vivem ou transitam por diferentes países desde o nascimento e, portanto,
propõe uma produção poética itinerante e permite a produção cultural desses escritores e artistas de diferentes países. Também pode ser conhecido e experimentado pelo público participante.

Inscrições de propostas até 14/09/2019.

Envie as informações abaixo para o email: poeticastransculturales2019@gmail.com ou em particular na página: facebook.com/poeticastransculturales:

Proposta/ Propuesta:
Nome / Nombre:

Nacionalidade/ Nacionalidad:

Data de Nascimento / Fecha de nacimiento:

E-mail:

facebook/ instagran o otras redes:

Blog ou algum site com seu trabalho / Blog o sitio com el trabajo

Teléfono/telegram:

País de residência/ País de residencia:

Endereço / Domicilio:

Estado / Localidad:

Cidade/ Distrito / Ciudad/Provincia:

Títulos de livros, revistas a presentar e/0u outras propostas artísticas como exposições e performances/

Títulos de libros o revistas a presentar y/o propuesta artísticas como exposiciónes y performances:

Observações / Observaciónes:

Resultado:

Os selecionados serão notificados por e-mail e todas as informações sobre como participar serão divulgadas em: facebook.com/poeticastransculturales e também pelo site imersaolatina.com.

A organização não se compromete a arcar com as despesas de viagem, acomodação e alimentação dos participantes. É importante que a proposta tenha relação com a integração cultural entre países, migrações e transculturalidade. A inscrição de diferentes linguagens relacionadas com a escritura são bem-vindas: literatura, música, artes visuais, audiovisuais, entre outras propostas artísticas.

Todos os participantes receberão um Kit Cultural com CD, livros e um certificado de participação. Aqueles que propõem exposição ou outras propostas que exigem equipamento específico devem mencioná-lo nos comentários para ver se eles podem ser reparados. Os esclarecimentos devem ser solicitados por e-mail ou na página  facebook.com/poeticastransculturales.

Este é um evento colaborativo, portanto, aqueles que pretendem participar também se comprometem a apoiar, ajudar a divulgar para promover culturalmente esta iniciativa e compartilhar a experiência em seus países e cidades, a fim de contribuir para o intercâmbio cultural.

Trabalhadoras da Cultura: Iara Abreu e Seus Aspectos Urbanos

IaraAbreu2

Iara Abreu é uma ativista pelas artes que integra o Instituto Imersão Latina, licenciada em desenho, plástica e educação artística, pela antiga FUMA, atual UEMG. Seu trabalho é muito coletivo, mesclando artes visuais com poesia. Está sempre garimpando em eventos culturais, apoiando outros artistas. Tem um flerte forte com a poesia e é difícil um poeta de Belo Horizonte que não a conheça. O seu projeto Aspectos Urbanos que começou em Belo Horizonte hoje tem poemas ilustrados por ela. Em entrevista para a jornalista Brenda Marques Pena, fundadora do Instituto Imersão Latina a artista conta um pouco da sua trajetória.

Confira a terceira entrevista da série: Trabalhadoras da Cultura no blog Estação de Experimentação Itinerante!

Exposição Convergências com Mesa Redonda e Oficina de Poesia Visual será realizada esta semana em BH

WhatsApp Image 2019-06-06 at 10.39.57


A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais abrirá em seu espaço expositivo Passarela Cultural em 13 de junho de 2019 a exposição individual “CONVERGÊNCIAS | A Poesia Visual de Tchello d’Barros” em sua 17ª itinerância, desta vez com curadoria de Brenda Mar(que)s Pena. A programação inicia as 19 h na Sala de Cursos c/ a mesa-redonda Poesia

Visual Contemporânea, onde o artista e a curadora debaterão o tema com os convidados: Carlos Barroso, jornalista e poeta e Iara Abreu, artista plástica, seguida de coquetel com abertura da mostra e lançamento do livro de poemas Cataclísmica, de Tchello d’Barros. E nos dias 15 e 16 de junho, de 14h30 às 19h30 será ministrada oficina de Poesia Visual com o artista, no espaço do Coletivo Contorno, escritório criativo sede do Instituto Imersão Latina, localizado à avenida do Contorno 4640, sala 701, bairro Funcionários. Serão duas turmas de 10 alunos no máximo, com inscrições prévias presencialmente no dia da abertura da exposição, pelo e-mail imersao@imersaolatina.com ou pelo whatsapp (31) 98811-9469 . Ao se inscrever informar se pretende fazer a oficina no sábado ou no domingo. O pagamento da inscrição pode ser feito presencialmente no dia da exposição ou por depósito ou transferência bancária no BANCO DO BRASILAgência 3014-7 -  conta-corrente: 135533-3, em nome do Instituto Imersão Latina CNPJ: 11.861.797/0001-38.

A EXPOSIÇÃO

“Convergências” é um projeto multimídia que apresenta a produção em Poesia Visual de Tchello d’Barros em diversos suportes como Livro, Blog, Vídeo, Instalação, Internet, Projeções em espaços públicos e esta exposição física, cuja itinerância por capitais brasileiras já passou por 17 instituições culturais em 10 Estados, por enquanto. A mostra apresenta uma seleção retrospectiva de trabalhos criados ao longo de duas décadas, com poemas visuais em imagens gráficas em P&B, impressas digitalmente em chapas de PVC, não comercializáveis, abordando temas sociais, políticos, relações humanas e do cotidiano brasileiro.

DEPOIMENTO DO AUTOR

“Considero o recurso do poema visual uma linguagem adequada para tratar de temas sempre contemporâneos (vida social, fé, amor, sexo, relações humanas dicotomias do cotidiano etc) de interesse geral da sociedade. Para além das questões da forma, ou do desenho, há esse instigante desafio de dialogar com outras linguagens, como a poesia, as artes gráficas, a colagem, a infogravura. E, continuo adotando a estratégia de levar ao público as imagens que crio, no formato de exposições físicas, presenciais, o que permite um contato maior com as pessoas, que em geral, em nosso país ainda conhecem pouco dessa modalidade de expressão plástica e ao mesmo tempo literária, tão praticada atualmente em todos os continentes. E essa mostra não poderia deixar de ser apresentada numa biblioteca, que é sempre meu espaço preferido e de visita obrigatória em todas as cidades que percorro em nosso Brasil.” Tchello d’Barros

TEXTO CRÍTICO

CONVERGÊNCIAS EM BELO HORIZONTE

Que metáforas do cotidiano os poema visuais de Tchello d’Barros trazem? Por quais espaços o traço visual caminha para se transformar em uma poética que transmite a outros seus sentidos? É possível não ser tocado por poemas visuais expostos lado a lado como sinais de um tempo contínuo? E se ele até escapar aos olhos de quem vai a exposição para ser
visto também pelos que passam pelas calçadas de uma Belo Horizonte, podendo escapar do olhar de quem passa correndo, mas atraindo a atenção de andarilhos, pessoas em situação de rua e os que se permitem a dar uma pausa nesse frenético tempo das telas conectadas.

Esta exposição individual retrospectiva intitulada “Convergências”, que neste junho de 2019 chega ao espaço da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais sempre traz novas criações e segue itinerante por vários lugares. Já passou por João Pessoa, Maceió, Porto Alegre, Belém, Blumenau, Rio de Janeiro, Vitória, Belo Horizonte, Salvador e Brasília, por
diferentes espaços e em maio esteve na Sérvia.

O que há de novo no espaço? Sempre se agregam novos poemas visuais e ela assim se faz em processo contínuo, pois as convergências continuam confluindo no tempo e no espaço.
O multiartista Tchello d’Barros tem na poesia visual sua principal referência de trabalho e pesquisa, tendo sua obra já referenciada inclusive em mais de 10 livros didáticos e é importante ressaltarmos a importância da educação para a poesia, que se faz tão necessária como estudo de linguagem desse tempo contemporâneo. Se não nos permitirmos pausas
jamais teremos tempo para que a poesia nos penetre o olhar para então tocar outros sentidos.

E aos que se permitirem olhar, que busquem suas convergências, quais as obras mais lhe atraem e as que repelem por trazerem duras críticas à realidade sociocultural do nosso pais, como PARLAMENTARES PARALAMENTARES… Cabe a cada um que passa pela rua e olha, quem resolve entrar e ver mais de perto e aos que apreciam de fato e virão para ver de
perto esses poemas visuais que já passaram por tantos lugares, mas que nesta hora nos convidam a apreciá-los, como um bom pão-de-queijo com café.

Brenda Marques Pena
Curadora, Jornalista e Produtora Cultural
Belo Horizonte (MG)

SOBRE O AUTOR

O artista multimídia Tchello d’Barros (SC) mantém uma densa relação com o meio artístico em Minas Gerais, seja participando com textos em publicações como Nós da Poesia, Muro dos Poetas, Antologia 32 ou participando com poemas visuais de eventos como o Psiu Poético, exposições em galerias e do Museu da Poesia, ou ainda realizando curadorias para a semana literária I-Poema, entre outras ações em cidades mineiras, como as visitas acadêmicas à Inhotim.

Dedica-se desde 1993 às linguagens das Artes Visuais, Literatura e Cinema. Nasceu na pequena Brunópolis (SC), residiu em 15 cidades no Brasil, tendo produzido sua obra em Blumenau (onde iniciou a carreira), Maceió, Belém e Rio de Janeiro, onde vive, após ter percorrido 20 países em constantes atividades culturais. Eventualmente ministra oficinas e palestras, participando também de mesas-redondas, júris, editorias, curadorias, saraus e diversas atividades culturais no Brasil e exterior. Após participar de cerca de 150 exposições e
ter trabalhos publicados em mais de 50 livros, têm se dedicado a popularizar a Poesia Visual, itinerando com a mostra “Convergências”, que apresenta algumas das obras do autor que vem sendo usadas como referência em livros didáticos de distribuição nacional.

SERVIÇO
Evento: Exposição de Poesia Visual ‘‘Convergências’’
c/ mesa-redonda e sessão de autógrafos
Quem: Escritor e artista visual Tchello d’Barros (SC)
Abertura: 13.Jun.2019 às 19 h

Visitação: 14.Jun à 09.Jul.2019
Seg. à sexta: 08 – 18 h / Sáb: 08 – 12 h
Local: Biblioteca Pública Estadual Professor Francisco Iglesias
Rua da Bahia, 1889 – 2º Piso – Sala de Cursos e Passarela Cultural
Praça da Liberdade, 21 – Funcionários. Belo Horizonte (MG)
Curadoria: Brenda Mar(que)s Pena (MG)
Ingresso: Entrada Franca

CONTATOS:
Contato c/ Brenda Mar(que)s Pena (MG)
Curadora da exposição
(31) 98811 9469 brendajornalista@gmail.com
brendamars.wordpress.com
Belo Horizonte (MG)

Contato c/ Tchello d’Barros
Artista expositor
(21) 9 8354 1978 tchellodbarros@yahoo.com.br
tchellodbarros.wordpress.com
Rio de Janeiro (RJ)

Contato c/ Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais
(31) 3269-1166
www.bibliotecapublica.mg.gov.br
Belo Horizonte (MG)

TRABALHADORAS DA CULTURA: IZABEL GADELHA E A HISTÓRIA DA CABANAGEM

Cabanagem1

A segunda entrevista do nosso especial de Trabalhadores da Cultura é com a Izabel Gadelha, historiadora e escritora de livros sobre a Cabanagem. Seu primeiro despertar para a importância do movimento cabano se deu após uma atividade realizada pelo Instituto Imersão Latina (Imel), durante o Fórum Social Mundial, em Belém, Pará. Participaram pelo Imel Brenda Marques, Nelson Pombo Junior, Avelin Buniacá e Aline Cântia. Ela conta um pouco de como se deu essas andanças culturais ao longo desta década desde o despertar dessa vontade de investigar a fundo sobre a cabanagem e passar para futuras gerações.

“Foi no imersão Latina em 2009 ainda terminando a graduação que fiz minha primeira palestra acerca da Cabanagem. Me senti confortável apesar da pouca experiência, porque não estava sozinha.Mas, no dia seguinte algo bem curioso aconteceu. Fui assistir uma palestra sobre cabanagem. Mas, o profissional que faria a palestra faltou. E, algumas pessoas que assistiram nossa palestra no dia anterior me reconheceram e me pediram para fazer a palestra já que o professor havia faltado. As pessoas que estavam lá eram de nacionalidades diversas e pensavam que eu era professora já…enfim, fiz outra palestra.Foi tudo muito enriquecedor. Posso dizer que a melhor forma de começar é estrear no Imersão…”

Confira a entrevista concedida à jornalista Brenda Marques, na íntegra no http://experimentacaoitinerante.blogspot.com/2019/05/trabalhadoras-da-cultura-izabel-gadelha.html

Mês de maio iniciamos uma série de entrevistas com trabalhadores da cultura

“Face Oculta”Autorretrato c/ letras, desenhado à mão e finalizado em computação gráfica

TRABALHADORES DA CULTURA: TCHELLO D´BARROS E AS ANDANÇAS NAS ARTES

O Instituto Imersão Latina vai publicar a partir deste mês de maio uma série de entrevistas com trabalhadores da cultura que integram o Instituto Imersão Latina ou já realizaram projetos em parceria. Começaremos neste dia 8 de maio, dia do artista plástico com Tchello d’Barros, que estará expondo Convergências, na Galeria da Biblioteca Estadual de Minas Gerais, no conjunto cultural da Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, Minas Gerais no próximo mês  de junho, com produção do Instituto Imersão Latina e curadoria da jornalista e produtora cultural Brenda Marques Pena, que é também quem realiza esta entrevista e vocês certamente saberão em breve mais informações. A proposta é fazer uma mesa de poesia visual contemporânea durante a abertura da exposição.

O artista multimídia Tchello d´Barros dedica-se desde 1993 às linguagens das Artes Visuais, Literatura e Cinema. Nasceu na pequena Brunópolis (SC), residiu em 15 cidades no Brasil, tendo produzido sua obra em Blumenau (onde iniciou a carreira), Maceió, Belém e Rio de Janeiro, onde vive, após ter percorrido 20 países em constantes atividades culturais. Eventualmente ministra oficinas e palestras, participando também de mesas-redondas, júris, editorias, curadorias, saraus e diversas atividades culturais no Brasil e exterior. Após participar de cerca de 150 exposições e ter trabalhos publicados em mais de 50 livros, têm se dedicado a popularizar a Poesia Visual, itinerando com a mostra “Convergências”, que apresenta algumas das obras do autor que vem sendo usadas como referência em livros didáticos de distribuição nacional. Em entrevista por e-mail à jornalista Brenda Marques Pena falou, do Instituto Imersão Latina (Imel) fala sobre suas itinerâncias e experimentações no campo das artes.

Todas as entrevistas serão publicadas no blog Estação de Experimentação Itinerante - Núcleo de pesquisa, experimentação e criação do Instituto Imersão Latina

Confiram:  https://experimentacaoitinerante.blogspot.com/2019/05/trabalhadores-da-cultura-entrevista-com.html

 

Imersão Latina realiza Noite de Poesia Sonora no Rio de Janeiro

O Centro Cultural Justiça Federal – CCJF recebe no dia 22 de março de 2019, das 19 as 21 h, uma noite dedicada à Poesia Sonora, c/ palestra aberta ao público sobre esse tema, seguida do lançamento do livro Poesia Sonora – História e Desdobramentos de uma Vanguarda Poética (Ed. Tradição Planalto), da escritora Brenda Marques Pena (MG). O encontro contará com poetas convidados, declamações, performance, homenagem e poemas sonoros.

PROGRAMA:

– Performance “Transsonoridade” c/ Marco Alexandre de Oliveira / Gringo Carioca.

– Sessão de Poesia oralizada, c/ os atores e atrizes: Bayard Tonelli, Jorge Piri, Jorge Ventura, Lili Balonecker, Marcela Giannini, Sady Bianchin e Susy Savedra, artistas do palco que também atuam na cena literária c/ sua produção autoral em poesia.

– Homenagem a poeta multilinguagens Regina Pouchain.
– Audição de poemas sonoros.
– Palestra Poesia Sonora, c/ Brenda Marques Pena.
– Sessão de Autógrafos do livro “Poesia Sonora”

A PALESTRA

Um bate-papo com espaço para perguntas da plateia onde serão apresentados áudios de Poesia Sonora, além de uma conversa sobre nosso atual período de convergências das artes, investigando este contexto na globalização, em que a poesia de vanguarda é orientada para o discurso performativo. Nossa América Latina, cheia de ritmos e línguas dos povos indígenas desenvolveu mais a oralidade que a escrita, com variações linguísticas, étnicas, sociais, políticas e econômicas, produzindo diversas práticas importantes para as linguagens artísticas. Serão compartilhadas também poéticas experimentais de diversos poetas latino-americanos e também da autoria da palestrante e pesquisadora, incluindo poemas sonoros de seu novo livro de poesia “Tsunâmica”.

O LIVRO

“Poesia Sonora – História e Desenvolvimento de uma Vanguarda Poética” apresenta um breve panorama histórico da Poesia Sonora, com sua origem e desenvolvimento. Também aborda a relação entre as artes de vanguarda no século XX, onde esta poética está inserida em diálogo com os conceitos de oralidade, escrita, escritura, ruído, silêncio e ritmo. As experimentações sonoras de John Cage e de Henri Chopin foram determinantes para o estabelecimento de novas linguagens para a música eletrônica e a Poesia Sonora, assim como as performances radiofônicas de Antonin Artaud. Este estudo se faz necessário hoje para compreendermos as aplicações da Poesia Sonora na hipermídia e para mostrar como as classificações rigorosas de arte estão caindo, além da busca de artistas por uma linguagem que se dá na interação entre as diferentes representações e suportes, na contemporaneidade. A Poesia Sonora em busca de uma linguagem universal e performativa pode nos ajudar a pensar sobre os recursos da arte tecnológica, a partir de experimentos poéticos e pesquisas de teóricos como Jerônimo Rotemberg e Paul Zumthor, dedicados à poesia oral, colaboram para um panorama da arte do século XX e seus impactos em nossa atualidade

A AUTORA

BRENDA MAR(QUE)S PENA é uma artista multifacetada: escritora, jornalista, fotógrafa, baterista e produtora cultural. Nasceu e vive em Belo Horizonte (MG), onde trabalha na Rede Minas Cultural e Educativa atualmente como repórter e produtora do Alto-Falante, programa de música exibido em rede pela TV Brasil. Integra o Coletivo Contorno, as bandas Cáustica e Ablusadas, o grupo Corpo Língua de performance cênica e o núcleo de pesquisa em dramaturgia do Galpão Cine Horto. Atualmente pré-doutoranda, é Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, cursando disciplinas na área de Poéticas e Políticas no doutorado, do programa de pós-gradução em Linguagens do CEFET-MG. É fundadora do Instituto Imersão Latina (IMEL), que faz parte das redes Facción Latina, Ciranda Brasil e Fórum Nacional de Democratização da Comunicação. Representante do Movimento Cultural Abrace, com sede no Uruguai e membro fundadora do Círculo de Narradores y Poetas del Mercosur. Diretora da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil, em Minas Gerais – AJEB-MG. Autora dos livros: Tsunâmica (Sangre Editorial, 2019) Manos Pulsantes (O Lutador, 2017), DESnaturalizados (Editora Saramandaia, 2016), Poesia Sonora – História e Desdobramentos de uma Vanguarda Poética (Editora Tradição Planalto, 2009), Utopias Possíveis: Imersão Latina: 10 anos (O Lutador, 2015) e organizadora das antologias do coletivo Nós da Poesia, atualmente na sexta edição. Seus poemas, contos, crônicas e ensaios foram publicados em diversas antologias nacionais e internacionais. Acadêmica correspondente da Real Academia de Letras, cadeira 12: Lygia Clark (patronesse). Participa de Bienais do Livro e feiras literárias internacionais desde 2000. Apresentou performances poéticas no Brasil, Cuba, Estados Unidos, França e Argentina. E como pesquisadora no Chile, Venezuela e Dakar (África). Prêmios: Excelência Cultural ABD 70 anos – Associação Brasileira de Desenho e Artes Visuais 2014, Troféu Liberdade de Expressão Literarte 2015, Troféu Elizabeth Kinga: Melhores do Ano 2015 de Excelência em Gestão Cultural.

Link da Editora Tradição do Planalto com alguns áudios disponíveis de Poesia Sonora:
http://www.tradicaoplanalto.com.br/livro-poesia-sonora.html

Dissertação que deu origem ao livro:

http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/ECAP-76XKTF

Texto crítico de Rogério Salgado sobre o Livro Poesia Sonora
https://brendamars.wordpress.com/poesia-sonora-historia-e-desdobramentos-de-uma-vanguarda-poetica-de-brenda-marques-pena/

SERVIÇO:

Quê: Palestra e lançamento de livro de ‘‘Poesia Sonora”
Data: 22.Mar.2019 – Sexta-feira
Horário: 19 às 21:00 h
Local: Sala de Leitura do Centro Cultural Justiça Federal – CCJF
Av. Rio Branco, 241, Cinelândia. Centro, Rio de Janeiro, RJ
Realização: Instituto Imersão Latina
Ingresso: Entrada Franca
Preço do livro: R$ 30,00

CONTATOS:

Contato c/ Brenda Marques Pena
(31) 8811 9469 brenda jornalista@gmail.com
brendamars.wordpress.com
Belo Horizonte, MG

Contato c/ Tchello d’Barros (Produção no Rio):
(21) 9 8354 1978 tchellodbarros@yahoo.com.br
tchellodbarros.wordpress.com
Rio de Janeiro, RJ

Contato c/ o CCJF
(21) 3261 2550 ccjf@trf2.jus.br
Rio de Janeiro, RJ

Exposição de Arte Postal no Meio do Caminho pode ser vista na Fundação Carlos Drummond de Andrade

Flyer NO MEIO DO CAMINHO


O Instituto Imersão Latina realiza no dia 16 novembro de 2018, às 19 horas, uma ação poético/performática na exposição internacional de Arte Postal “No Meio do Caminho”, que acontece na Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade, em Itabira (MG).

A exposição teve uma pré-abertura na 17ª Semana Literária Drummondiana, é constituída de obras de 92 autores de 23 países, que apresentam suas criações no sistema da Arte Postal. Com curadoria de Tchello d’Barros (RJ), a mostra integra a programação do I-Poem@ – Encontro Internacional de Escritura Migrante, coordenado por Brenda Marques Pena (MG), em instituições culturais das cidades mineiras de Belo Horizonte, Itabira, Ipoema, Moeda e Ravena. Após o período expositivo a mostra terá uma versão na Internet. De acordo com o curador, a exposição “é uma ação que visa reunir criações poéticas e imagéticas de diferentes origens em nosso planeta, convergindo com o poema de Drummond e ampliando o tema para questões como as migrações, os refugiados e o momento atual da geopolítica global”.

 Artistas e Países:  

 ALEMANHA: Horst Tress – Lars Schumacher – Lutz Beeke – PC Tictac – Hans Braumüller – Susanne Schumacher | ARGENTINA: Alejandra Besozzi – Ana Montenegro – Claudio Mangifiesta – Marcela Peral – Negreira Patricia   Walter Brovia | ÁUSTRIA: Gunter Vallaster – Horvath Piroska – Klaus Pinter | BÉLGICA: The Wasted Angel – R. Ramon | BRASIL: Al-Chaer – Almandrade – Bruce Svain – Constança Lucas – Dorian Ribas Marinho – Ermínia Marasca Soccol – Eni Ilis – Iara Abreu – Janyce Soares de Oliveira – Joaquim Branco – Gringo Carioca – Hugo Pontes – Jane Beatriz Sperandio Balconi – Jussara Leite Kronbauer – Karla K. Lipp – Maria Caruso – Maria do Carmo Toniolo Huhn – Maria Flor – Maria Julieta Damasceno Ferreira – Maria de Lourdes Rabello Villares – Maria Tereza Penna – Marithê Bergamin – Martina Berger – Ricardo Alfaya – Roberto Keppler – Sirlei Caetano – Tchello d’Barros – Terezinha Fogliato Lima – Coletivo Gralha Azul | CANADÁ: Christopher Willard | CHILE: Antonio Cares | DINAMARCA: Marina Salmaso – Poul Poclage – Victor Vidal | ESPANHA: Antonia Mayol Castelló – Daniel de Culla – Ibirico – Ferran Destemple – Juan López de Ael – Miguel Jimenez – Pedro Bericat – Rafael Gonzales – Sabela Baña | EUA: Daniel C. Boyer – Henry Guild – John M. Bennet – Michelangelo Mayo – Steve Dalachinsky – Reid Wood – | ESTÔNIA: Ilmar Kruusamãe | FINLÂNDIA: Anja Matilla-Tolvanen – John Gayer – Paul Tililã | FRANÇA: André Robèr – Richard Baudet | GRÉCIA: Katerina Nikoltsou | ITÁLIA: Bruno Chiarlone – Cinzia Farina – Daniele Virgílio – Franco Ballabeni – Giovanni e Renata StraDA DA – Maya Lopez Muro – Oronzo Liuzzi – Roman Bueri | JAPÃO: Keiichi Nakamura – Keigo Hara – Tohei Mano | NORUEGA: Jaromir Svozilik  | POLÔNIA: Miron Tee | PORTO RICO: Esteban Valdés | PORTUGAL: Avelino Rocha – Fernando Aguiar | RÚSSIA: Alexander Limarev | TURQUIA: Derya Avci | URUGUAI: Clemente Padin

Texto Curatorial 

TINHA A ARTE POSTAL NO MEIO DO CAMINHO
por Tchello d’Barros*

 “Disseram que jamais atravessaríamos a fronteira.
E agora, aqui estamos nós.”
Corey Taylor

“No Meio do Caminho” apresenta um diálogo entre textos e imagens de diferentes linguagens com o sistema da Arte Postal, estabelecendo um espaço específico – o Cartão Postal – como lugar de encontro com o leitor/visualizador das obras. Tal pluralidade de linguagens, desta vez homenageia o grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, em releituras textuais e visuais de seu emblemático poema.

Um dia, o filho maior de Itabira encontrou seu lugar na metrópole, mas qual o lugar ideal da Arte na contemporaneidade? Podemos mencionar as exposições, livros, espaços culturais, Internet e mídias digitais, mas antes de tudo talvez possamos considerar que seja um lugar interno em nós, onde a arte possa inquietar, comunicar e causar reações estéticas. A Arte Postal é uma sobrevivente de nossa turbulenta passagem para a pós-modernidade, abriu seu espaço na era digital, cruzou a linha do novo milênio, chegou aos nossos dias reinventando-se sempre mais, transgressora, crítica e política. E não veio apenas para ficar, mas para ampliar seu arco temático, seja pelo viés do humor, seja pela crítica mordaz nas abordagens dos grandes temas da humanidade, desde tensões geopolíticas, desníveis socioeconômicos, as relações humanas e até mesmo aspectos inusitados do cotidiano.

A Arte Postal – Arte Correo, Mail Art – vem ampliando suas redes de trocas simbólicas em todos os continentes, aumentando cada vez mais seus adeptos, e, para além das mostras coletivas, vem potencializando seus públicos de forma exponencial nos meios virtuais. Essa modalidade está mais viva do que nunca, num constante tráfico de poéticas diversas, num intercâmbio de obras, livres das amarras acadêmicas, das demandas de mercado e de engessamentos institucionais.

Atenderam ao chamado desta vez 92 artistas de 23 países, apresentando suas criações em técnicas como desenho, pintura, colagem, infogravura, fotografia, reprografia, assemblages, caligrafia, técnicas mistas, selos autorais e carimbos personalizados. E cada Cartão Postal possui elementos de manufatura que os tornam únicos, em contraponto com a cultura de massa em que nossa sociedade está inserida. O meio desse caminho bifurcou-se em releituras, como escrituras migrantes, trilhando sendas cada vez mais debatidas na atualidade, como Migração, Emigração, Imigração, Refugiados, Fronteira, Aduana, Xenofobia, Geopolítica, Clandestinidade, Percurso, Itinerário, Trajetória, Soberania, Integração, Território, Esperança, Mapa, Bússula, Latitude/Longitude, etc.

Provocar a produção em Arte Postal no cenário brasileiro e internacional, estimular a presença dessas linguagens e suportes nos meios culturais e tensionar aspectos conceituais para uma possível reflexão ou debate, são alguns pontos de partida desta mostra. E, talvez, um ponto de chegada num lugar chamado Arte, seja para quem quer trilhar essa vereda com suas criações, seja apenas para quem ama a arte em todos seus caminhos.

*Tchello d’Barros é Escritor, Artista Visual e Curador
Rio de Janeiro (RJ), Brasil – outubro 2018

Serviço:
Ação Poética: 16 de novembro de 2018
Horário: 19 h
Local: Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade
Itabira (MG), Brasil
Visitação: Até 26 de novembro de 2018
Entrada franca

Links:
- “No Meio do Caminho” no Facebook:
www.facebook.com/poeticasmigrantes
- Instituto Cultural Imersão Latina:
www.imersaolatina.com

 

Relação dos 92 artistas de 23 países participantes da exposição internacional de Arte Postal “NO MEIO DO CAMINHO” promovida pelo Instituto Imersão Latina (Belo Horizonte) c/ coordenação de Brenda Marques Pena (MG) do Instituto Imersão Latina e curadoria de Tchello d’Barros (RJ), do Visual Poetry Museum.

ALEMANHA: Horst Tress – Lars Schumacher – Lutz Beeke – PC Tictac – Hans Braumüller – Susanne Schumacher | ARGENTINA: Alejandra Besozzi – Ana Montenegro – Claudio Mangifiesta – Negreira Patricia   Walter Brovia | ÁUSTRIA: Gunter Vallaster – Horvath Piroska – Klaus Pinter | BÉLGICA: The Wasted Angel – R. Ramon | BRASIL: Almandrade   - Bruce Svain – Constança Lucas – Dorian Ribas Marinho – Ermínia Marasca Soccol – Eni Ilis – Iara Abreu – Janyce Soares de Oliveira – Joaquim Branco – Gringo Carioca – Hugo Pontes – Jane Beatriz Sperandio Balconi   Jussara Leite Kronbauer – Karla K. Lipp – Maria Caruso – Maria do Carmo Toniolo Huhn – Maria Flor – Maria Julieta Damasceno Ferreira – Maria de Lourdes Rabello Villares – Maria Tereza Penna – Marithê Bergamin – Martina Berger – Ricardo Alfaya – Roberto Keppler – Sirlei Caetano – Tchello d’Barros – Terezinha Fogliato Lima – Coletivo Gralha Azul | CANADÁ: Christopher Willard | CHILE: Antonio Cares | DINAMARCA: Marina Salmaso – Poul Poclage – Victor Vidal | ESPANHA: Antonia Mayol Castelló – Daniel de Culla – Ibirico – Ferran Destemple – Juan López de Ael – Miguel Jimenez – Pedro Bericat – Rafael Gonzales – Sabela Baña | EUA: Daniel C. Boyer – Henry Guild – John M. Bennet – Michelangelo Mayo – Steve Dalachinsky – Reid Wood – | ESTÔNIA: Ilmar Kruusamãe | FINLÂNDIA: Anja Matilla-Tolvanen – John Gayer – Paul Tililã | FRANÇA: André Robèr – Richard Baudet | GRÉCIA: Katerina Nikoltsou | ITÁLIA: Bruno Chiarlone – Cinzia Farina – Daniele Virgílio – Franco Ballabeni – Giovanni e Renata StraDA DA – Maya Lopez Muro – Oronzo Liuzzi – Roman Bueri | JAPÃO: Keiichi Nakamura – Keigo Hara – Tohei Mano | NORUEGA: Jaromir Svozilik  | POLÔNIA: Miron Tee | PORTO RICO: Esteban Valdés | PORTUGAL: Avelino Rocha – Fernando Aguiar | RÚSSIA: Alexander Limarev | TURQUIA: Derya Avci | URUGUAI: Clemente Padin