Nós da Poesia pelos caminhos da América Latina

Coletivo de autores da antologia organizada pelo Instituto Imersão Latina, com a participação de poetas ativistas culturais. Acompanhe sempre a agenda de eventos literários e de artes integradas do Nós da Poesia no facebook/nosdapoesia e nosdapoesia.blogspot.com Confira »

Criança não é Brinquedo

\\\\\\\"Quem tem presente, pensa no futuro\\\\\\\", com este slogan iniciamos o primeiro projeto do Imersão Latina em 2005 Confira »

Mais de 30 milhões de pessoas são escravizadas diariamente

Crianças e adolescentes migrantes da América Latina são mais vulneráveis ao tráfico humano. Entre na luta contra esta realidade. Confira »

Imersão Latina celebra a diversidade cultural

Para um futuro realmente sustentável tem que se cuidar de preservar a terra e as tradições culturais. Acompanhe sempre pelo blog do Imel nossas atividades e de parceiros. Participe! Na foto: Festa das crianças em Água Lima com a participação do Boi Rosado. Confira »

Residência Imersão Latina recebe artistas latino-americanos em agosto no Brasil

Conosca el proyecto de Residencia Imersão Latina y siga esta experiencia Conheça o projeto de Residência Imersão Latina e acompanhe essa experiência Confira »

 

Instituto Imersão Latina - Imel

Somos uma associação de escritores, jornalistas, produtores culturais, pesquisadores e artistas independentes, formada por ativistas que se preocupam em defender e mostrar toda a diversidade cultural, ambiental e de idéias da América Latina.

Colabore com a Revista A Imensa Minoria

Tá no forno mais uma deliciosa edição! Só que precisamos de gás de quem colabora para finalizar a revista.

A Imensa Minoria é uma revista que se distribui de forma gratuita em formato pdf por WhatsApp, e-mail e messenger. O nosso desejo principal é qualificar a discussão sobre economia cultural.
Neste número teremos:

- O Fantástico Mapa de São Geraldo – Capitulo I – O Aparelho da rua Atacarambu, 120 -  Moacir Gomes de Almeida

- Brenda Marques entrevista – 3 anos de AzDiferentonas.

- Iaiá Drumond – “A música é meu oxigênio”.

- A Política Nacional de Alfabetização no governo Bolsonaro: uma afronta à comunidade científica e educacional no Brasil – Grupo de Estudo e Pesquisa em Alfabetização – GEALI da Universidade Federal do Rio Grande – FURG

- Economia criativa: o antes e o possível depois da pandemia e a situação do mercado cultural na América do Sul – Michelle Cristina Alves Silva

- Maldita Cia. – Entre rituais e virtuais

- Teu pai mente para você; A Bela Adormecida – Maria Luisa de Francesco

É possível estudar teatro pela internet? Bremmer Guimarães.

Apoie essa ideia com uma mínima colaboração você pode ajudar a fazer uma grande mudança!
https://benfeitoria.com/aimensaminoria

Apoie povos indígenas que vivem em contexto urbano durante a pandemia

WhatsApp Image 2020-07-14 at 15.50.02

Você sabia que mais de 20 etnias indígenas vivem atualmente na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH)? A principal fonte de subsistência desses povos é a venda de artesanato em feiras de rua. Entretanto, em razão da pandemia, essa atividade precisou ser temporariamente suspensa.

Indígenas na Cidade – apoio COVID-19

Ajude o Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas a apoiar as famílias indígenas da RMBH em busca de segurança social e alimentar durante a pandemia.

Nós, indígenas, também estamos na cidade. Somos mais de 20 povos indígenas que vivem em contexto urbano na Região Metropolitana de BH e durante a pandemia nossa situação se agravou.

Hoje, nossa principal forma de subsistência na cidade é a venda de artesanato em feiras de rua. Mas, por conta da pandemia, tivemos que interromper essa atividade para nos protegermos e protegermos nossos irmãos.

Nós, do Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas, nos mobilizamos em união nesse momento sensível para apoiar as famílias indígenas em busca de segurança social e alimentar durante a pandemia.

 ====

Quem será atendido?

A campanha busca arrecadar fundos para assistir 100 famílias indígenas, de mais de 20 povos diferentes, que vivem em contexto urbano na capital mineira.

Usaremos todo o dinheiro arrecadado para:

1- Garantir maior segurnaça alimentar principalmente para as mulheres, gestantes e crianças com cestas básicas, leite, materiais de higiene, fraldas, enxovais e equipamentos de proteção. 

2- Equipar a casa dos indígenas Warao, grupo de 18 pessoas que chegou em fevereiro à BH, que saiu recentemente da situação de abrigamento temporário.

3- Assegurar o pagamento do aluguel por três meses no mínimo da casa dos artesãos indígenas do sul da Bahia que vivem e trabalham em Belo Horizonte. A casa também é hospedagem para parentes da Bahia que vem para eventos sobre a cultura Indígena.

 ====

Desafios dos Indígenas em contexto urbano:

Temos demandas específicas ao estarmos na cidade. Não temos acesso à terra para plantio, pagamos caro no aluguel, como todo cidadão migrante e periférico. Ainda, não somos acompanhados por nenhuma política pública dos órgãos indigenistas federais, que não incluem os indígenas na cidade. Por isso, também lutamos por políticas públicas definitivas nesse sentido.

 ====

Gratidão!

Contribuindo com essa campanha você, além de somar nessa luta, também incentiva o artesanato indígena. Para doações a partir de 100 reais iremos entregar artesanatos indígenas produzidos por nossos parentes de diferentes etnias como maneira de demonstrar nossa gratidão.

Você também pode adquirir produtos artesanais por meio do instagram do Comitê. Faça parte. Some-se à essa luta e contribua!

        

(Imagens ilustrativas de alguns dos artesanatos disponíveis para venda nas redes do Comitê. Os artesanatos de gratidão pelas doações irão variar de acordo com a disponibilidade de produtos do Comitê)

====

Vidas indígenas importam!

Agradecemos à todes que fortalecem os povos indígenas, em especial em contexto urbano, visto que as políticas genocidas de negação e extermínio de nossa presença, identidades e direitos nas cidades é de uma violência brutal.

Saibam que ofereceram muito mais do que recursos, demonstraram que acreditam que a vida vale mais e venceremos unidos esse momento caótico para a humanidade, mas necessário em que a Mãe Terra precisa respirar.

KATUCAUÁ!  TENÙ-AHI! AWÊRY MOEÜTCHIMA

GRATIDÃO!

====

 Quem Somos?

O Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas é uma rede de apoiadores atuante desde 2012 na cidade de Belo Horizonte e RMBH, formada por indígenas e não indígenas. O Comitê reúne povos de mais de 20 etnias do Brasil, Venezuela, Peru e Bolívia.

Instagram: @comitemineiro
Facebook : Comitê Mineiro de apoio as causas indígenas
E- mail: comunicacao.cmaci@gmail.com

Se você quiser doar diretamente para o comitê, nossa conta-corrente é:

Banco do Brasil
Agência 3014-7
Conta corrente : 135533-3
Instituto Imersão Latina
CNPJ : 11.861.797/0001-38

Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas.

#gratidao #povosoriginários #povosindígenas #indigenasnacidade #covid_19 #solidariedade

 

Doe para campanha em apoio aos povos indígenas e ganhe um livro de brinde

WhatsApp Image 2020-06-05 at 17.07.43

Campanhas Covid-2019
Indigenas na cidade.

Colaborem divulgando e apoiando.Doem para campanha! Já adquirimos fraldas descartáveis e alimentação,  pagamos os transportes, fizemos doações para familias que perderam entes queridos e também ajudamos em alguns ítens para gestantes. Esta semana também doaremos 100 máscaras de tecido. Compramos cobertores, já que o frio aumentou.

Nessa campanha dos cobertores estamos doando para indígenas da Aldeia Naô Xohã Aldeia destruída pelo Crime da Vale em Brumadinho e também para mais 20 famílias da RMBH, num total de 100 familias indigenas.

Os desafios e necessidades ainda são muitas. Participe você também da campanha de solidariedade aos povos indígenas!

São 100 famílias de várias etnias que precisam de sua solidariedade na Grande Belo Horizonte. Colabore hoje mesmo com qualquer valor que puder.

Quem colaborar com uma valor a partir de R$30,00 ganhará um livro de brinde.

Favor enviar comprovante  e endereço de envio do livro para imersao@imersaolatina.com

Dados bancários para depósito ou transferência:
BANCO DO BRASIL
Agência 3014-7
conta-corrente: 135533-3
Instituto Imersão Latina
CNPJ: 11.861.797/0001-38
É possível apoiar também por meio de cartão de crédito pela plataforma Vakinha. Lá você também vê detalhes da campanha e desafios da arrecadação. https:/www.vakinha.com.br/vaquinha/indigenas-na-cidade-campanha-de-apoio-contra-o-covid-19

Campanha de solidariedade aos povos indígenas. Doe você também!

Apoie os povos indígenas que estão precisando de auxílio em Belo Horizonte. São 41 famílias de várias etnias que precisam de sua solidariedade. Colabore hoje mesmo com qualquer valor que puder.

Quem colaborar com uma valor a partir de R$30,00 ganhará um livro de brinde. Favor enviar comprovante para imersao@imersaolatina.com

Dados bancários para depósito ou transferência:
BANCO DO BRASIL
Agência 3014-7
conta-corrente: 135533-3
Instituto Imersão Latina
CNPJ: 11.861.797/0001-38
É possível apoiar também por meio de cartão de crédito pela plataforma Vakinha. Lá você também vê detalhes da campanha e desafios da arrecadação. https://www.vakinha.com.br/vaquinha/indigenas-na-cidade-campanha-de-apoio-contra-o-covid-19

#colabore #campanha #indígenas #covid19 #coronavirus #arte #solidariedade

Noite de lançamentos virtuais

Respeitável público participante! Não perca nesta noite o lançamento virtual da Revista A Imensa Minoria, edição especial em homenagem à Marielle Franco e todas as mulheres que fazem arte na vida e da vida uma arte! O  editorial e cada entrevista, artigo, poema foi lançado no facebook.com/imersaolatina e também fizemos chamada inaugurando o instagram.com/imersaolatina, mais um canal de comunicação do Instituto Imersão Latina.

Foi produzida em Belo Horizonte pela A Imensa Minoria, o Imersão Latina e o Coletivo Contorno, com colaboradores de algumas partes da América Latina.

Quem quiser receber a revista completa por e-mail ou whatsapp. Escreva para: aimensaminoria@gmail.com.

Leia também aqui.

 

Fundo de assistência a jornalistas auxiliará mulheres que atuavam em mídia e foram demitidas

IWMF

Jornalistas mulheres e não binárias que enfrentam dificuldades financeiras podem concorrer a este novo fundo.

International Women Media’s Foundation  (IWMF) está aceitando candidatas para o Fundo de Ajuda ao Jornalismo.

O fundo destina-se a jornalistas que perderam o trabalho, foram recentemente demitidas ou precisam urgentemente de assistência, como assistência para evitar perder a moradia e insegurança alimentar; cuidados médicos agudos e serviços de saúde mental; creche para filhos; e suporte legal.

As jornalistas selecionadas receberão doações de até US$2.000 dólares.

As candidatas não devem ter outra fonte de renda disponível no momento, devem ter trabalhado em período integral como jornalista nos seis meses antes da solicitação de assistência e ser diretamente afetadas pela crise global da saúde.

As solicitações serão analisadas na ordem de chegada.

Clique aqui para: Mais informações e inscrições


Nota de agradecimento do Comitê de Apoio às Causas Indígenas

WhatsApp Image 2020-03-30 at 14.17.04

Nós, do Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas, rede de apoiadores atuante desde 2012 na cidade de Belo Horizonte, formada por indígenas e não indígenas.

Agradecemos a todos os apoiadores que responderam ao nosso chamado em cooperar, resguardar e promover a igualdade racial na cidade de Belo Horizonte, assim como de resguardar a assistência social e a segurança alimentar das população indígena em situação urbana no cenário de enfrentamento à pandemia do coronavírus .

Recebemos o retorno da SMASAC (SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, SEGURANÇA ALIMENTAR E CIDADANIA) que disponibilizou alimentos oriundos do banco de alimentos da PBH e se comprometeu em assegurar esse fornecimento enquanto durar a quarentena.

Agradecemos em especial a Makota Kisandembu, Diretora de Políticas para Igualdade Racial da Prefeitura de Belo Horizonte e Thiago Alves da Costa, Subsecretário de Direito e Cidadania.

Agradecemos ao Instituto Imersão Latina.

Agradecemos a Campanha Espalhe Cestas.

Agradecemos também ás parlamentares da GABINETONA: Andréia de Jesus, Aurea Carolina, Bella Gonçalves e Cida Falabella.

Nossa mais profunda gratidão a cada um cidadão que doou também alimentos, leite e fraldas visto que continuamos em campanha paralela para suprir as necessidades das crianças, que é um grupo bastante grande de nossa gente. Entre em contato.

A todes que fortalecem os povos indígenas, em especial em contexto urbano, visto que as políticas genocidas de negação e extermínio de nossa presença, identidades e direitos nas cidades é de uma violência brutal.

Saibam que ofereceram muito mais do que recursos, demonstraram que acreditam que a vida vale mais e venceremos unidos esse momento caótico para a humanidade, mas necessário em que a Mãe Terra precisa respirar.

KATUCAUÁ!

TENÙ-AHI!

AWÊRY

MOEÜTCHIMA

GRATIDÃO!
Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas.

#gratidao
#povosoriginários
#povosindígenas
#indigenasnacidade
#covid_19
#solidariedade

Nota do Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas

WhatsApp Image 2020-03-23 at 20.28.54

Nós, do Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas, direcionamos essa nota à população de Belo Horizonte e a todos os órgãos, movimentos e instituições que tem o papel de resguardar e promover a igualdade racial na cidade de Belo Horizonte, assim como de resguardar a assistência social e a segurança alimentar das populações mais vulneráveis no cenário de enfrentamento à pandemia do coronavírus, com a finalidade de expor a especial situação de precariedade dos indígenas na cidade.

Atualmente, em Belo Horizonte, a maioria dos parentes residentes possuem como única renda a venda de artesanato e alguns realizam também a prestação de serviços domésticos. A comercialização dos produtos acontece em espaços públicos, principalmente na Feira Hippie e Praça Sete, escolas bem como em eventos diversos.

Parcela dos indígenas que residem em Belo Horizonte são aposentados e outros estudantes da UFMG, em trânsito na capital, já retornaram às suas aldeias assim que as aulas foram suspensas.

Entretanto, dos indígenas que permaneceram na cidade, contabilizamos 16 (dezesseis) grupos de famílias de 12 (doze) etnias diferentes, oriundos de 4 (quatro) países da América Latina. Tais famílias totalizam 45 (quarenta e cinco) pessoas que estão sem geração de renda. Somada à precária situação de não poderem comercializar seus artesanatos que lhe garantem a sobrevivência; há ainda o caso dos parentes venezuelanos Warao que permanecem provisoriamente no abrigo São Paulo, também em uma situação de grande vulnerabilidade social.

Nesse sentido, estamos diante de um impasse que precisa ser tratado com a máxima prioridade pelo Poder Público junto com as instituições de defesa dos povos originários: a presença Indígena na cidade.

Nós nos entendemos como luz, como presença criadora, como solução especialmente para os problemas que nos assolam no atual cenário mundial, resultado de um desrespeito pela mãe terra e exploração sem fins dos recursos naturais pelo homem branco e não devemos ser tratados como um problema. Assim, o desafio é a cidade entender esse lugar de preexistência e o direito de estar na cidade mediante um país e um continente inteiro que nos pertenceu e foi roubado para a invenção do Brasil.

Desta forma, é necessário fomentar, em caráter emergencial, medidas reparadoras que viabilizem nosso modo de viver na cidade, onde trazemos a história de resistência desde a invasão e a permanente guerra que vivemos, guerra esta que sempre evitamos.

Nós hoje nos organizamos para acessar os órgãos públicos e também a sociedade civil com relação à preeminência de resguardar nossas vidas, uma vez que a migração é um direito que para nós, povos indígenas, é tão comum que se os invasores não fossem tão gananciosos teríamos compartilhado nossos bens, comprado, feito trocas, como sempre o fizemos por milênios com tantos povos que já haviam chegado à costa brasileira. Mas sabemos como a história se deu.

Hoje, empobrecidos, os que estão na cidade não contam com o apoio da rede de proteção da FUNAI e tampouco das principais organizações indígenas do país que tem focado seu trabalho quase que exclusivamente nos indígenas aldeados, apesar da população indígena na cidade ser significativa e crescente.

No Brasil, os dados mais recentes do Censo de 2010 indicam que a população indígena atingiu 817,9 mil pessoas. Desse total, 36,2% residiam na área urbana e 63,8% na área rural. Belo Horizonte possui parte desses 36% da população indígena do Brasil, um número bastante expressivo para ser ignorado. Além disso, os indígenas migrantes também não são assistidos, com a justificativa de que a FUNAI só trabalha com indígenas brasileiros. Nós não aceitamos essas

barreiras, uma vez que nossa forma de organização ancestral não é regulada por barreiras geográficas e sim por pertencimento à raiz pré- colombiana.

Certos de contar com apoio da população e das instituições públicas e privadas que atuam em defesa das comunidades tradicionais, subscrevemos essa nota e aguardamos um posicionamento acerca das medidas para resolução da situação vulnerável aos quais os indígenas estão expostos.

Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas.

A Imensa Minoria lança projeto Dia Marielle da Arte que pode ser apoiado via Catarse

WhatsApp Image 2020-02-07 at 14.08.05

O 2º número da nossa revista que, sairá ao ar no dia 14 de Março, será uma homenagem a Marielle Franco.

Nesse número queremos fazer um convite para que de aqui em diante todos os 14 de Março seja o dia mundial de estreiar peças de teatro, obras musicais, lançar revistas e fazer nascer no mundo toda a beleza que tentaram nos roubar. Que cada 14 de Março multipliquemos exponencialemten a nossa força artística para combater tanta maldade.

A Imensa Minoria – arte, mercado & filosofia é uma revista que tem como objetivo ser um meio de comunicação entre artistas. E para gerar o melhor conteúdo possível contamos com a parceria de Imersão Latina.

De Santa Tereza/BH para toda América Latina

O Instituto Imersão Latina é parceiro de realização deste projeto.


 

 

 

 

 

 

Clube de leitura CARAVANA!

Também em parceria com o grupo editorial CARAVANA temos muitos livros nas nossa recompensas. CONFIRA!

Design Coletivo Contorno.

Realizamos os sonhos dos nossos clientes com soluções criativas de design gráfico e comunicação.

Neste número entrevistaremos:

- A vereatriz pelo PSOL Cida Fallabella;

- O  diretor de Teatro Pedro Paulo Cava;

- A cantora Iaiá Drummond;

- A gestora cultural boliviana Sivana Vázquez;

Também teremos nossa coluna central sobre América Latina falando das eleições na Bolívia e o plebiscito no Chile.

Vai perder? Não se reprima financie a produção de ARTE, PORQUE NÓS SABEMOS QUE VOCÊ GOSTA!! :)

 

Participe de una Poética Finissage en este sábado en Galería Gran Refugio en Chile

Poetica Finissage

Todxs invitadxs para esta fiesta com participantes de diversas linguagens artísticas. Esta finissage cierra las actividades del III Encuentro Internacional de Escritura Migrante “Poéticas Transculturales”.

ACTIVIDADES

Poesía Verbal, Sonora y Visual – Performances + RAP – Música Incidental – Percussión Derbake – Danza SenciDancin – Transmidia Set – Micrófono LibreARTISTAS
Brenda Marques Pena (online) – Daniel Fernández – Edu Perez – Jessica Pizarro – Josefa Flores Araya – MC Egrosone – Tchello d’Barros (online) Victor (gastronimia) – Uará – y… Usted!

SERVICIO

Evento: Tertúlia POÉTICA FINISSAGE
Hostess: Jessica Pizarro y MC Egrosone
Fecha y horários: 15.Feb.2020. Sábado. 20 hasta 22 h
Local: La Galeria. Dardiñac, 0106
Providência. Santiago, Chile.
Acceso Libre!

https://www.facebook.com/events/282447299407925/