Nós da Poesia pelos caminhos da América Latina

Coletivo de autores da antologia organizada pelo Instituto Imersão Latina, com a participação de poetas ativistas culturais. Acompanhe sempre a agenda de eventos literários e de artes integradas do Nós da Poesia no facebook/nosdapoesia e nosdapoesia.blogspot.com Confira »

Criança não é Brinquedo

\\\\\\\"Quem tem presente, pensa no futuro\\\\\\\", com este slogan iniciamos o primeiro projeto do Imersão Latina em 2005 Confira »

Mais de 30 milhões de pessoas são escravizadas diariamente

Crianças e adolescentes migrantes da América Latina são mais vulneráveis ao tráfico humano. Entre na luta contra esta realidade. Confira »

Imersão Latina celebra a diversidade cultural

Para um futuro realmente sustentável tem que se cuidar de preservar a terra e as tradições culturais. Acompanhe sempre pelo blog do Imel nossas atividades e de parceiros. Participe! Na foto: Festa das crianças em Água Lima com a participação do Boi Rosado. Confira »

Residência Imersão Latina recebe artistas latino-americanos em agosto no Brasil

Conosca el proyecto de Residencia Imersão Latina y siga esta experiencia Conheça o projeto de Residência Imersão Latina e acompanhe essa experiência Confira »

 

Instituto Imersão Latina - Imel

Somos uma associação de escritores, jornalistas, produtores culturais, pesquisadores e artistas independentes, formada por ativistas que se preocupam em defender e mostrar toda a diversidade cultural, ambiental e de idéias da América Latina.

Coluna semanal A Imensa Minoria será publicada toda sexta-feira no site Imersão Latina

WhatsApp Image 2020-02-07 at 19.52.51

O Instituto Imersão Latina e a produtora A Imensa Minoria começam uma parceria este ano para a produção de uma revista e também desta coluna bilíngue no site do Imersão Latina que será como um blog semanal destacando notícias com foco inicial em cobrir o processo eleitoral em Bolívia e o da reforma constitucional de Chile com textos informativos, mas também poéticos e de narrativas sensíveis. Colaboram com esta coluna escritores, jornalistas, artistas que integram o Imersão Latina, A Imensa Minoria e o Colectivo de Escritura Migrante.

Estreamos a coluna neste dia 7 de fevereiro hoje com a colaboração de Germán Milich, Brenda Marques e Jéssica Muñoz (Lorena Pizarro)

El Instituto Imersão Latina y la productora A Imensa Minoria comienzan una asociación este año para producir una revista y también esta columna bilingue en el sitio web de Imersão Latina, que será como un blog semanal que resaltará noticias con un enfoque inicial en cubrir el proceso electoral en Bolivia y el de la reforma constitucional de Chile con textos informativos, pero también narrativas poéticas y sensibles. Colabora con esta columna escritores, periodistas, artistas que integran la Imersão Latina, La Inmensa Minoría y el Colectivo de Escritura Migrante.

Abrimos la columna el 7 de febrero hoy con la colaboración de Germán Milich, Brenda Marques y Jéssica Muñoz (Lorena Pizarro)

Hoje é o último dia para mandar propostas para o Beagá Psiu Poético 2020

83982444_10158074798908945_209436903299088384_n

Estão abertas, até o dia 31 de janeiro, as inscrições para a terceira edição do Festival Nacional de Poesia Beagá Psiu Poético. Os interessados podem se inscrever nas modalidades: Lançamento de Livros, Cinema, Performances, Poesia ao Vivo, Poemas para Exposição, Poesia na Escola, Bicicletada e Apresentações Musicais Compactas. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do e-mail psiupoetico@gmail.com, com cópia para sidneiaameliasimoes@gmail.com, com o título ‘Inscrição: 3º Beagá Psiu Poético – 2020’, indicando a modalidade, um breve resumo da atividade proposta e um mini currículo do proponente.

O Beagá Psiu Poético entre os dias 14 a 18 de março de 2020, em uma ocupação singular da capital de Minas Gerais. O evento propõe difundir as diversas manifestações artísticas a partir da arte poética e contará com a participação de artistas de diversas partes do país.

Psiu Poético 

O Festival Nacional de Poesia Psiu Poético é um projeto que tem como intuito a celebração e difusão das diversas manifestações artísticas, a partir da arte poética. O Projeto é realizado há mais de 30 anos, de forma ininterrupta, pelo seu idealizador João Aroldo Pereira e o Grupo de Literatura & Teatro Transa Poética, sendo referência no fomento e valorização da literatura brasileira na cidade de Montes Claros (MG). Em 2020, será realizada a sua 3ª edição na cidade de Belo Horizonte (MG.

Fique por dentro: facebook.com/psiupoeticomoc

Retrospectiva 

Festival Nacional de Poesia Beagá Psiu Poético

Em 2018 e 2019, o Beagá Psiu Poético ocupou diversos espaços da cidade de Belo Horizonte, como a Sala Juvenal Dias no Palácio das Artes, o Centro Cultural da UFMG, o campus da UFMG, o Centro de Referência da Juventude, o Edifício Maleta, a Praça da Liberdade, os Arcos do Viaduto de Santa Tereza, o Hall da Terminal Rodoviário, o Metrô e as Escolas Municipais e Estaduais. Houve uma participação ampla de poetas da capital mineira, de Sabará, de Ouro Preto, de Juiz de Fora, de Santos Dumont, de São João Del Rei, de Montes Claros, de Coração de Jesus, de Pernambuco, do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Brasília, entre outros. Nos anos de 2018 e 2019, o Psiu Poético em Belo Horizonte contou com um público diverso, marcando pontos positivos e deixando grandes expectativas para as próximas intervenções na Capital.

SERVIÇO:

BEAGÁ PSIU POÉTICO 2020
INSCRIÇÕES PELO E-MAIL psiupoetico@gmail.com
com cópia para sidneiaameliasimoes@gmail.com
PRAZO DE INSCRIÇÕES: ATÉ 31 DE JANEIRO DE 2020
INSCRIÇÕES GRATUITAS
EVENTO ABERTO À POPULAÇÃO: 14 A 18 DE MARÇO DE 2020 ENTRADA FRANCA

Foto: Reunião da Comissão Organizadora do Psiu Poético Beagá na Casa Socialista.

Colectivo de Escritura Migrante promove encontro poético transcultural rompendo fronteiras pela arte

Brenda Marques Pena*

Janeiro é um mês em se celebra o verão e as férias escolares nos países da América do Sul, mas para o Colectivo de Escritura Migrante foi um tempo de mostra de trabalhos artísticos e de encontro entre diferentes poéticas, afirmando a literatura em diálogo com outras artes. Um momento de tecer relações entre migrantes, nômades, seminômades e pessoas que estão sempre em deslocamento e não se sentem pertencentes a nenhum ponto geográfico específico do planeta. Dias para se abraçar, de se olhar nos olhos,  de compartilhamento de culturas e saberes sempre com afeto.

O terceiro Encontro Internacional de Escritura Migrante foi realizada em Santiago e Isla Negra, no Chile de 16 a 19 de janeiro, de forma autônoma por um coletivo de escritores composto de participantes da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, México e Uruguai. O objetivo geral do encontro é trocar propostas artísticas, conhecimento cultural e debate sobre a poética dos escritores intermediários, que vivem ou transitam por diferentes países e propõe uma produção poética itinerante que instiga a produção desses escritores e artistas, assim como o intercâmbio cultural, com oficinas e apresentações artísticas sempre abertas ao público com o tema poéticas transculturais.

O tema migrações é muito pertinente nos dias de hoje. De acordo com informações divulgadas em relatório da Onu de 2019, ao todo são 272 milhões de migrantes no mundo. Na América Latina está grande parte dos que deixam seus países com destino à América do Norte e Europa. Este fluxo tem crescido nos últimos anos e apesar da Venezuela ser um dos países que mais tem aumentado o número de pessoas que migram, o México ainda ocupa o primeiro lugar em número de pessoas que saem das suas terras, são ao todo 12 milhões de mexicanos vivendo fora do país. E o que fazer nesta situação, construir muros ou romper barreiras, inclusive da linguagem por meio da arte? Este é um dos objetivos do Colectivo de Escritura Migrante, que realiza encontros anualmente, sempre de maneira itinerante em diferentes países.

O primeiro encontro da escritura migrante foi realizado em Montevidéu, em 2017 e o segundo em novembro de 2018 no Brasil, nas cidades de  Belo Horizonte, Itabira, Moeda e nos distritos de Ravena e Ipoema. Há sempre uma busca de ampliação das participações incluindo participantes também da Venezuela, Peru que ainda não participaram, mas estão buscando esta integração, afinal a migração é um tema recorrente em vários países da América Latina.

O terceiro seria realizado em novembro de 2019, mas desde outubro protestos têm ocupado às ruas e a repressão tem sido muito forte. É um período de convulsão social como nunca houve na história chilena e não teríamos condições de segurança e de viabilidade para realizar no período, então adiamos por dois meses. Realizar em janeiro foi muito bom e conseguimos parcerias com museus, livrarias e centros culturais de referência. Também foi possível acompanhar este momento histórico e cultural, em que as paredes das cidades de Santiago se transformaram em verdadeiros livros com escritos de ordem, poesia, instalações de arte urbana e as ruas com apresentações artísticas diversas.

Realizamos atividades culturais em diferentes espaços culturais:  Museu da Memória e Direitos Humanos, Museu da Educação Gabriela Mistral, Librería Proyección, Centro Cultural Barracón, Galeria Gran Refugio y Teatro Crea Rock.. Participei representando o Brasil com performance, música, poesia e também coordenando a produção. Na apresentação que fiz com o Duo Sussurros, que é formado por mim e Élcio Lucas, realizados uma performance muito interativa. Ao final, todo o público se levantou das cadeiras para uma espécie de cortejo com catarse, cantando, dançando e poetando com a gente, saindo de uma sala para o pátio principal do museu, em uma verdadeira celebração artística! Durante todo o encontro se somaram apresentações culturais com os seguintes escritores que trabalham a escrita em linguagens artísticas diversas: Amapola Araya Rojas (Chile), Ana Straus (Uruguay), Aldo Biglia (Chile), Antu Liwen (Mapuche/Chile), Brenda Mar(ques) Pena (Brasil), Camila Albertazzo (Chile), Carlos Soto-Román (Chile),  Chary Gumeta (México), Cláudia Vaca Flores (Bolívia), Coke Araya (Chile), Daniel Fernández (Uruguay), Elcio Lucas (Brasil), Eli Rodriguez (Uruguay), Erika Andrea Currea Toro (Colombia – in memoriam), Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina), Gladys Bravo Contreras (Chile), Janina Camacho (Bolívia), Josefa Flores Araya (Chile), Jeison Oviedo Mercado (Colombia), Jéssica Muñoz (Chile), Marcia Rivera (Chile), Leo Lobos (Chile), Liliana Peña (Chile), René Silva Catalán (Chile), Rodrigo Leiva (Chile), Osmany Sabalza (Colômbia), Patricio Madiñá (Chile), Silvia Rojas (Bolivia), Tchello d´Barros (Brasil), Iván Vergudo, con el proyecto Uará (Chile/Bolívia).
Durante o encontro já foi decidido o novo local de destino, o quarto Encontro Internacional da Escritura Migrante será realizado ainda este ano, no segundo semestre na Colômbia e será aberto para inscrições e recebimento de propostas a partir de março no site imersaolatina.com.

*Brenda Marques Pena é jornalista cultural no Brasil e colaboradora da Revista Arte por Excelência, coordena o Instituto Imersão Latina e o Coletivo de Escritura Migrante.

__________

Colectivo de Escritura Migrante promueve un encuentro poético intercultural, rompiendo fronteras a través del arte

Brenda Marques Pena*

Enero es un mes en el que el verano y las vacaciones escolares se celebran en los países de América del Sur, pero para el Colectivo de Escritura Migrante fue una época de mostrar obras artísticas y conocer diferentes poéticas, afirmando la literatura en diálogo con otras artes. . Un momento para tejer relaciones entre migrantes, nómadas, seminómadas y personas que siempre están en movimiento y no sienten que pertenecen a ningún punto geográfico específico del planeta. Días para abrazarse, mirarse a los ojos, compartir culturas y conocimientos siempre con cariño.

El tercer Encuentro Internacional de Escrituras Migrantes se celebró en Santiago e Isla Negra, en Chile, del 16 al 19 de enero, de forma autónoma por un colectivo de escritores compuesto por participantes de Argentina, Brasil, Bolivia, Chile, Colombia, México y Uruguay. El objetivo general de la reunión es intercambiar propuestas artísticas, conocimiento cultural y debate sobre la poética de escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países y propone una producción poética itinerante que instiga la producción de estos escritores y artistas, así como el intercambio cultural, con talleres y presentaciones artísticas siempre abiertas al público con el tema de la poética transcultural.

El tema de la migración es muy relevante hoy. Según la información publicada en un informe de la ONU de 2019, hay 272 millones de migrantes en todo el mundo. En América Latina hay una gran parte de quienes abandonan sus países para América del Norte y Europa. Este flujo ha crecido en los últimos años y, aunque Venezuela es uno de los países que más ha aumentado la cantidad de personas que migran, México todavía ocupa el primer lugar en la cantidad de personas que abandonan sus tierras, en total hay 12 millones de mexicanos. viviendo fuera del país. ¿Y qué hacer en esta situación, construir muros o romper barreras, incluido el lenguaje a través del arte? Este es uno de los objetivos del Colectivo de Escritura Migrante, que celebra reuniones anuales, siempre de forma itinerante en diferentes países.

El primer encuentro se realizó en Montevideo en 2017 y la segunda en noviembre de 2018 en Brasil, en las ciudades de Belo Horizonte, Itabira, Moeda y en los distritos de Ravena e Ipoema. Siempre se busca una expansión de la participación, incluidos los participantes de Venezuela, Perú que aún no han participado, pero están buscando esta integración, después de todo, la migración es un tema recurrente en varios países de América Latina.

El tercero tendría lugar en noviembre de 2019, pero desde octubre las protestas han salido a las calles y la represión ha sido muy fuerte. Es un período de agitación social como nunca antes en la historia chilena y no tendríamos las condiciones de seguridad y viabilidad para llevar a cabo en el período, por lo que lo pospusimos por dos meses. Actuar en enero fue muy bueno y logramos asociarnos con museos, librerías y centros culturales de referencia. También fue posible seguir este momento histórico y cultural, en el que los muros de las ciudades de Santiago se convirtieron en verdaderos libros con escritos de orden, poesía, instalaciones de arte urbano y las calles con diversas presentaciones artísticas.

Realizamos actividades culturales en diferentes espacios culturales: Museo de la Memoria y los Derechos Humanos, Museo de Educación Gabriela Mistral, Librería Proyección, Centro Cultural Barracón, Galería Gran Refugio y Teatro Crea Rock. Participé representando a Brasil con performance, música, poesía y también coordinando producción En la presentación que hice con Duo Sussurros, formada por él y Élcio Lucas, realizaron una actuación muy interactiva. Al final, toda la audiencia se levantó de sus sillas para una especie de procesión de catarsis, cantando, bailando y viviendo la poesía sonora con nosotros, dejando una habitación para el patio principal del museo, en una verdadera celebración artística. A lo largo de la reunión, se agregaron presentaciones culturales con los siguientes escritores trabajando en la escritura en diferentes lenguajes artísticos: Amapola Araya Rojas (Chile), Ana Straus (Uruguay), Aldo Biglia (Chile), Antu Liwen (Mapuche / Chile), Brenda Mar (ques) Pena (Brasil), Camila Albertazzo (Chile), Carlos Soto-Román (Chile) , Chary Gumeta (México), Cláudia Vaca Flores (Bolivia), Coke Araya (Chile), Daniel Fernández (Uruguay), Elcio Lucas (Brasil), Eli Rodriguez (Uruguay), Erika Andrea Currea Toro (Colombia – in memoriam), Giuseppe Camelia Intelisano (Italia / Argentina), Gladys Bravo Contreras (Chile), Janina Camacho (Bolivia), Josefa Flores Araya (Chile), Jeison Oviedo Mercado (Colombia), Jéssica Muñoz (Chile), Marcia Rivera (Chile), Leo Lobos ( Chile), Liliana Peña (Chile), René Silva Catalán (Chile), Rodrigo Leiva (Chile), Osmany Sabalza (Colombia), Patricio Madiñá (Chile), Silvia Rojas (Bolivia), Tchello d´Barros (Brasil), Iván Vergudo , con el proyecto Uará (Chile / Bolivia).

Durante la reunión, el nuevo destino ya estaba decidido, la cuarta Reunión Internacional de la Escritura Migrante se llevará a cabo a finales de este año, en el segundo semestre en Colombia y estará abierta para el registro y la recepción de propuestas a partir de marzo en el sitio web imersaolatina.com.

* Brenda Marques Pena es periodista cultural en Brasil y colaboradora de la Revista Arte por excelencia, coordina el Instituto Imersão Latina y el Coletivo de Escritura Migrante.

facebook.com/escrituramigrante

Exposição de Arte Postal “NO MEIO DO CAMINHO” pode ser vista até 15 de fevereiro na Galería Gran Refúgio em Santiago

WhatsApp Image 2020-01-06 at 17.12.35

O Instituto Imersão Latina – IMEL, em parceria com os coletivos:  Escritura Migrante,  Uará e Flowrida Escuela. realiza na Galeria Gran Refugio – em Santiago, Chile – a itinerância da exposição internacional de Arte Postal “No Meio do Caminho”. A mostra integra a programação do III Encuentro Internacional de Escritura Migrante, com o tema “Poéticas Transculturales”, a realizar-se de 15 a 20 de janeiro de 2020 na capital chilena.

A EXPOSIÇÃO

Esta exposição foi inaugurada inicialmente como atração da 17ª Semana Literária Drummondiana, numa homenagem ao grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, na terra natal do poeta, em Itabira (MG) Brasil. É constituída por obras de 92 autores de 23 países, que apresentam suas criações no sistema da Arte Postal, em interpretações livres sobre o emblemático poema de Drummond: “No Meio do Caminho”. Será agora apresentada em Santiago, no Chile, na programação do III Encuentro Internacional de Escritura Migrante – “Poeticas Culturales”. A curadoria é assinada por Tchello d’Barros (RJ), com coordenação de Brenda Marques Pena (MG), idealizadora do projeto via Instituto Imersão Latina – IMEL. De acordo com o curador, a exposição “é uma ação que visa reunir criações poéticas e imagéticas de diferentes origens em nosso planeta, convergindo com o poema de Drummond e ampliando o tema para questões como as migrações, os refugiados e o momento atual da geopolítica global”.

ARTISTAS | PAÍSES

ALEMANHA: Horst Tress – Lars Schumacher – Lutz Beeke – PC Tictac – Hans Braumüller – Susanne Schumacher | ARGENTINA: Alejandra Besozzi – Ana Montenegro – Claudio Mangifiesta – Marcela Peral – Negreira Patricia   Walter Brovia | ÁUSTRIA: Gunter Vallaster – Horvath Piroska – Klaus Pinter | BÉLGICA: The Wasted Angel – R. Ramon | BRASIL: Al-Chaer – Almandrade – Bruce Svain – Constança Lucas – Dorian Ribas Marinho – Ermínia Marasca Soccol – Eni Ilis – Iara Abreu – Janyce Soares de Oliveira – Joaquim Branco – Gringo Carioca – Hugo Pontes – Jane Beatriz Sperandio Balconi – Jussara Leite Kronbauer – Karla K. Lipp – Maria Caruso – Maria do Carmo Toniolo Huhn – Maria Flor – Maria Julieta Damasceno Ferreira – Maria de Lourdes Rabello Villares – Maria Tereza Penna – Marithê Bergamin – Martina Berger – Ricardo Alfaya – Roberto Keppler – Sirlei Caetano – Tchello d’Barros – Terezinha Fogliato Lima – Coletivo Gralha Azul | CANADÁ: Christopher Willard | CHILE: Antonio Cares | DINAMARCA: Marina Salmaso – Poul Poclage – Victor Vidal | ESPANHA: Antonia Mayol Castelló – Daniel de Culla – Ibirico – Ferran Destemple – Juan López de Ael – Miguel Jimenez – Pedro Bericat – Rafael Gonzales – Sabela Baña | EUA: Daniel C. Boyer – Henry Guild – John M. Bennet – Michelangelo Mayo – Steve Dalachinsky – Reid Wood – | ESTÔNIA: Ilmar Kruusamãe | FINLÂNDIA: Anja Matilla-Tolvanen – John Gayer – Paul Tililã | FRANÇA: André Robèr – Richard Baudet | GRÉCIA: Katerina Nikoltsou | ITÁLIA: Bruno Chiarlone – Cinzia Farina – Daniele Virgílio – Franco Ballabeni – Giovanni e Renata StraDA DA – Maya Lopez Muro – Oronzo Liuzzi – Roman Bueri | JAPÃO: Keiichi Nakamura – Keigo Hara – Tohei Mano | NORUEGA: Jaromir Svozilik  | POLÔNIA: Miron Tee | PORTO RICO: Esteban Valdés | PORTUGAL: Avelino Rocha – Fernando Aguiar | RÚSSIA: Alexander Limarev | TURQUIA: Derya Avci | URUGUAI: Clemente Padin

TEXTO CURATORIAL

TINHA A ARTE POSTAL NO MEIO DO CAMINHO

 por Tchello d’Barros*

 

                                           “Disseram que jamais atravessaríamos a fronteira.

                                                                                  E agora, aqui estamos nós.”

                                                                                                                      Corey Taylor

 

“No Meio do Caminho” apresenta um diálogo entre textos e imagens de diferentes linguagens com o sistema da Arte Postal, estabelecendo um espaço específico – o Cartão Postal – como lugar de encontro com o leitor/visualizador das obras. Tal pluralidade de linguagens, desta vez homenageia o grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, em releituras textuais e visuais de seu emblemático poema.

Um dia, o filho maior de da cidade de Itabira encontrou seu lugar na metrópole, mas qual o lugar ideal da Arte na contemporaneidade? Podemos mencionar as exposições, livros, espaços culturais, Internet e mídias digitais, mas antes de tudo talvez possamos considerar que seja um lugar interno em nós, onde a arte possa inquietar, comunicar e causar reações estéticas. A Arte Postal é uma sobrevivente de nossa turbulenta passagem para a pós-modernidade, abriu seu espaço na era digital, cruzou a linha do novo milênio, chegou aos nossos dias reinventando-se sempre mais, transgressora, crítica e política. E não veio apenas para ficar, mas para ampliar seu arco temático, seja pelo viés do humor, seja pela crítica mordaz nas abordagens dos grandes temas da humanidade, desde tensões geopolíticas, desníveis socioeconômicos, as relações humanas e até mesmo aspectos inusitados do cotidiano.

A Arte Postal – Arte Correo, Mail Art – vem ampliando suas redes de trocas simbólicas em todos os continentes, aumentando cada vez mais seus adeptos, e, para além das mostras coletivas, vem potencializando seus públicos de forma exponencial nos meios virtuais. Esta modalidade está mais viva do que nunca, num constante tráfico de poéticas diversas, num intercâmbio de obras, livres das amarras acadêmicas, das demandas de mercado e de engessamentos institucionais.

Atenderam ao chamado desta vez 92 artistas de 23 países, apresentando suas criações em técnicas como desenho, pintura, colagem, infogravura, fotografia, reprografia, assemblages, caligrafia, técnicas mistas, selos autorais e carimbos personalizados. E cada Cartão Postal possui elementos de manufatura que os tornam únicos, em contraponto com a cultura de massa em que nossa sociedade está inserida. O meio desse caminho bifurcou-se em releituras, como escrituras migrantes, trilhando sendas cada vez mais debatidas na atualidade, como Migração, Emigração, Imigração, Refugiados, Fronteira, Aduana, Xenofobia, Geopolítica, Clandestinidade, Percurso, Itinerário, Trajetória, Soberania, Integração, Território, Esperança, Mapa, Bússula, Latitude/Longitude, etc.

Provocar a produção em Arte Postal no cenário brasileiro e internacional, estimular a presença dessas linguagens e suportes nos meios culturais e tensionar aspectos conceituais para uma possível reflexão ou debate, são alguns pontos de partida desta mostra. E, talvez, um ponto de chegada num lugar chamado Arte, seja para quem quer trilhar essa vereda com suas criações, seja apenas para quem ama a arte em todos seus caminhos.

*Tchello d’Barros é Escritor, Artista Visual e Curador
Rio de Janeiro (RJ), Brasil

SERVIÇO

Evento: Exposição de Arte Postal ‘‘No Meio do Caminho’’
no III Encuentro Internacional de Escritura Migrante
Curadoria: Escritor e artista visual Tchello d’Barros – Brasil
Coordenação: Brenda Mar(que)s Pena – Brasil
Instituto Imersão Latina – IMEL
Abertura: 19.Jan.2020. Das 16 às 19 h
Visitação: Até 15.Fev.2019
Local: Galeria Gran Refúgio. Dardinac, 0106 – Providência. Santiago, Chile.
Ingresso: Entrada Franca

Confirme presença:
https://www.facebook.com/events/375785596660407/

Exposição de Poesia Visual CONVERGÊNCIAS chega a galería Gran Refugio em Santiago

A Galeria Gran Refugio – em Santiago, Chile – abrirá a exposição individual “CONVERGÊNCIAS | A Poesia Visual de Tchello d’Barros”, com curadoria da brasileira Brenda Mar(que)s Pena (MG). A mostra integra a programação do III Encuentro Internacional de Escritura Migrante, com o tema “Poeticas Transculturales”, a realizar-se de 15 a 20 de janeiro de 2020, na capital chilena. A produção é do  Instituto Imersão Latina – IMEL, em parceria com os coletivos: Escritura Migrante, Uará e Flowrida Escuela.

A EXPOSIÇÃO

“Convergências” é um projeto multimídia que apresenta a criação em Poesia Visual do artista brasileiro multilinguagens Tchello d’Barros, em diversos suportes como Livro, Vídeo, Instalação, Internet, Projeções em espaços públicos e esta exposição física, cuja itinerância já passou por 17 instituições culturais em 10 Estados brasileiros e recentemente foi exibida também na Sérvia e em Portugal. A mostra apresenta uma seleção retrospectiva de trabalhos criados ao longo de duas décadas, com poemas visuais em imagens gráficas em P&B, impressas digitalmente em diversos suportes. Para esta edição da exposição, a curadoria optou por exibir obras que privilegiam reflexões sobre a sociedade contemporânea, abordando principalmente temas sociais e políticos, em diálogo c/ a tensa e delicada situação que o Chile vive atualmente. Além desta mostra individual em Santiago, os poemas visuais de Tchello d’Barros estarão ainda neste janeiro de 2020 participando de outros projetos culturais em países como EUA, Suíça e Alemanha.

DEPOIMENTO DO AUTOR

“Considero o recurso do poema visual uma linguagem adequada para tratar de temas sempre contemporâneos (vida social, fé, amor, sexo, relações humanas, dicotomias do cotidiano etc) e de interesse geral da sociedade. Para além das questões da forma, ou do desenho, há esse instigante desafio de dialogar com outras linguagens, como a literatura, artes gráficas, colagem, fotografia, infogravura etc. E, continuo adotando a estratégia de levar ao público as imagens que crio, no formato de exposições físicas, presenciais, o que permite um contato maior com as pessoas, que em geral, ainda conhecem pouco dessa modalidade de expressão plástica e ao mesmo tempo literária, tão praticada atualmente em todos os continentes. E essa mostra agora na capital chilena alcança um significado mais amplo por conta de minhas anteriores visitas ao país de Neruda e Gabriela Mistral, também por eu ter exibido obras de poetas chilenos em mostras que organizei no Brasil, e ainda também pela admiração que tenho pela rica contribuição dos poetas chilenos na história da Poesia Visual na América do Sul.” Tchello d’Barros
TEXTO CRÍTICO 

CONVERGÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA ITINERANTE DE POESIA VISUAL

por Brenda Mar(que)s Pena*

Que metáforas do cotidiano os poemas visuais de Tchello d’Barros trazem? Por quais espaços o traço visual caminha para se transformar em uma poética que transmite a outros seus sentidos? É possível não ser tocado por poemas visuais expostos lado a lado como sinais de um tempo contínuo? E ainda que escape aos olhos de quem passa por um espaço expositivo, sem dar o devido tempo à contemplação, as imagens/poemas atraem até mesmo os que passam despistadamente, mas logo aceitam o  convite a se permitir uma pausa nesse frenético tempo de telas conectadas.

 O multiartista Tchello d’Barros tem na Poesia Visual sua principal vertente de trabalho e pesquisa, tendo inclusive sua obra já referenciada em mais de 10 livros didáticos. É importante ressaltarmos a importância da educação para a poesia, que se faz tão necessária como estudo de linguagem desse tempo contemporâneo. Se não nos permitirmos pausas, jamais teremos tempo para que a poesia nos penetre o olhar para então tocar outros sentidos.

A exposição intitulada “Convergências”, de Tchello d´Barros, sempre traz novas criações e segue itinerante. Em  processo, confluindo no tempo e no espaço, ela já passou por João Pessoa, Maceió, Vitória, Belém, Porto Alegre, Blumenau, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília e Belo Horizonte, além de países como Sérvia, Portugal e Chile, neste caso, no evento literário Poéticas Transculturales – III Encontro Internacional da Escritura Migrante.

E aos que se permitirem olhar, que busquem suas convergências, com as obras que mais lhe atraem pelo afeto e identifiquem as que repelem duras realidades, por trazerem críticas à situação sociocultural do nosso país, como em Parlamentares Para Lamentares… Cabe a cada um que se depara com esses poemas visuais de Tchello d’Barros aceitar o convite a dar uma pausa no cotidiano e apreciá-los, como um bom pão-de-queijo com café.

 *Brenda Mar(que)s Pena

Curadora, Jornalista e Produtora Cultural

Belo Horizonte (MG) 2009

SOBRE O AUTOR

O artista multimídia Tchello d’Barros dedica-se desde 1993 às linguagens das Artes Visuais, Literatura e Cinema. Nasceu na pequena Brunópolis e vive em Rio de Janeiro, após ter percorrido 20 países em constantes atividades culturais. Eventualmente ministra oficinas e palestras, participando também de mesas-redondas, júris, editorias, curadorias, saraus e diversas atividades culturais no Brasil e exterior. Após participar de cerca de 150 exposições e ter trabalhos publicados em mais de 50 livros, têm se dedicado a popularizar a Poesia Visual, com a exposição individual retrospectiva e itinerante intitulada “Convergências”..

SERVIÇO

Evento: Exposição de Poesia Visual ‘‘Convergências’’
no III Encuentro Internacional de Escritura Migrante
Autor: Escritor e artista visual Tchello d’Barros – Brasil
Curadoria: Brenda Mar(que)s Pena – Brasil
Abertura: 19.Jan.2020.
Início às 16 às 19 h Visitação: Até 15.Fev.2019
Local: Galeria Gran Refúgio. Dardinac, 0106 – Providência. Santiago, Chile.
Ingresso: Entrada Franca
Contato: imersao@imersaolatina.com

En 10 días empieza Poéticas Transculturales – III Encuentro de Escritura Migrante en Chile

PTC3

 De 16 al 19 de enero de 2020 Santiago recibirá escritores y artistas de distintas lenguajes!

El tercero Encuentro Internacional de Escritura Migrante será de 16 al 17 de enero 2020.

Realizado por un colectivo de escritura migrante conformado con participantes de vários países, lo realizaremos, en Santiago, Chile, en varios espacios culturales.

El objetivo general del encuentro es intercambiar propuestas artísticas, el conocimiento cultural y el debate sobre la poética de los escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países desde su nacimiento y, por lo tanto, propone una producción poética de itinerancia y permite la producción cultural de estos escritores y artistas de diferentes países. puede ser conocido y experimentado también por el público participante.

Difundiremos la programación completa y más informaciónes del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com

Confirme su participación en: https://www.facebook.com/events/375785596660407/

Participantes:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antu Liwen (Mapuche/Chile)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto-Román (Chile)
Chary Gumeta (México)
Cláudia Vaca Flores (Bolívia)
Daniel Fernández (Uruguay)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia) – Homenaje a su memoria
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Janina Camacho (Bolívia)
Josefa Flores Araya (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia)
Jéssica Muñoz (Chile)
Marcia Rivera (Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
René Silva Catalán (Chile)
Rodrigo Leiva (Chile)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá (Chile)
Silvia Rojas (Bolivia)
Tchello d´Barros (Brasil)
Uará (Chile/Bolívia)

Domingo de cierre con poesía, música y exposición de arte:

Coke Araya, de Magnolia Blues Rock y invitados
(Participacción: Brenda Marques, de Ablusadas)
Colectivo Flowrida Escuela
(rap y breakdance)
Duo Sussurros (Poesía Sonora)
Da Gota (Forró)

Realización:
Poéticas Transculturales yColectivo de Escritura Migrante.
Corealización: Imersão Latina, Uará, Cultura Viva, Andes Graund Ediciónes
Espacios confirmados: Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória y Derechos Humanos,
Librería Proyección, Centro Cultural Barracón, Galeria Gran Refugio y Teatro Crea Rock.

 

https://www.facebook.com/events/375785596660407/

Hoje tem Imersão Cultural em Belo Horizonte na Casa dos Jornalista!

WhatsApp Image 2019-12-02 at 20.16.14

“Lembrar é resistir”. Então, no mês em que a promulgação do Ato Institucional nº 5 completa 51 anos, venha participar conosco do Debate “AI-5- Censura nunca mais”, bem como das outras atividades do evento “Imersão Cultural”.

Data: 04 de dezembro, às 19 hs
Local: Casa dos Jornalista
Endereço: Av. Álvares Cabral 400

Programação:

19 horas: Debate sobre AI-5 – Censura Nunca Mais
Historiadora e pesquisadora Dalva Silveira, Jornalista e poeta Rogério Salgado
Mediação: jornalista Brenda Marques
Exposição e venda dos Livros dos palestrantes:
De Realidade a Caros Amigos: a Turma do Ex-, imprensa alternativa e seu legado (Letramento, 2018), de Dalva Silveira
AI-5, de autoria dos poetas:
Bilá Bernardes, Irineu Baroni, Petrônio Souza Gonçalves, Rogério Salgado e
Helenice Rocha (falecida em julho deste ano).

20h Lançamento do livro:
Tempo de Liberdade, de Maria Delboni
(Recital da autora e autógrafos)

21h Sarau poético-musical
Duo Sussuros (Elcio Lucas e Brenda Marques),
Nós da Poesia
Homenagem à Helenice Rocha
(poeta integrante do Nós da Poesia, que faleceu em julho deste ano)

Realização: Instituto Imersão Latina
Apoio: Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais e
Ajeb-MG (Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil – Coordenadoria Minas Gerais)

Confirme sua participação: https://www.facebook.com/events/814657718996805/

Dos debatedores:

Dalva Silveira nasceu em Belo Horizonte/MG em 1967. Graduou-se em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e concluiu sua especialização em Ensino Técnico pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), desenvolvendo o projeto A importância da História local – O Parque Municipal como espaço de aprendizagem. Defendeu o mestrado e o doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), respectivamente, com os títulos A vida não se resume em festivais: um estudo das representações sobre Geraldo Vandré na imprensa brasileira (1966-2009); e A “Turma do Ex-” e a ditadura militar: os oito anos de guerrilha jornalística e seu legado.

Ministra palestras e desenvolve pesquisas sobre o período da ditadura militar, com ênfase no campo da música e da imprensa alternativa das décadas de 1960 e 1970. É autora de Geraldo Vandré: a vida não se resume em festivais (Fino Traço, 2011) e De Realidade a Caros Amigos: a Turma do Ex-, imprensa alternativa e seu legado (Letramento, 2018), tendo ainda vários artigos publicados na internet, em periódicos acadêmicos, revistas, jornais e também outros livros em coautoria. Foi professora da Rede Pública e Particular de Ensino de Belo Horizonte/MG e atualmente é funcionária do CEFET-MG, atuando na biblioteca.

Rogério Salgado nasceu em Campos dos Goytacazes/RJ. Em 1980, com a morte da mãe, mudou-se para Belo Horizonte/MG. Em 1983, criou com Ecivaldo John e Virgínia Reis, a revista Arte Quintal, um dos mais importantes veículos culturais da época. Em 2000, criou com outros poetas, o Sarau da Lagoa do Nado, dando inicio à efervescência poética que iria crescer nos próximos anos na capital mineira. Criou e realizou entre 2005 e 2014 com
Virgilene Araújo, o Belô Poético – Encontro Nacional de Poesia de Belo Horizonte, evento este que reunia na capital mineira, poetas de diversos estados do país e do exterior.

Também com Virgilene Araújo, idealizou e realizou o projeto Poesia na Praça Sete, em Belo Horizonte/MG, que teve cinco edições, projeto esse realizado com os benefícios da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. Figura em muitas antologias, entre elas: A Poesia Mineira no Século XX (Imago Editora-1999), organizado por Assis Brasil. Com diversos livros publicados, publicou em 2015 o livro de memórias Poeta Ativista, comemorando 40 anos de carreira literária. Em 2020 estará comemorando 45 anos de carreira literária.

 

Postergamos hasta enero el III Encuentro de Escritura Migrante que será en la capital chilena


El tercero Encuentro Internacional de Escritura Migrante tendrá nueva fecha de realización, lo postergaremos por dos meses, por questiones de seguridad, ya que Chile está pasando por un momento de muchas protestas y cambios.

Realizado por un colectivo de escritura migrante conformado con participantes de 10 países, lo realizaremos, en Santiago, Chile, en varios espacios culturales.

El objetivo general del encuentro es intercambiar propuestas artísticas, el conocimiento cultural y el debate sobre la poética de los escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países desde su nacimiento y, por lo tanto, propone una producción poética nómade y permite la producción cultural de estos escritores y artistas de diferentes países. puede ser conocido y experimentado también por el público participante.

Difundiremos la programación completa y más informaciones del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com

Inscriptos:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antonio Barbosa (Portugal/Francia)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto Román (Chile)
Cláudia Vaca Flores (Bolívia)
Daniel Fernández (Uruguay)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia)
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Jéssica Muñoz (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia/ Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
Rodrigo Eduardo Leiva Cepeda (Chile)
Victoria Ramirez Ruiz (Colombia)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá (Chile)
Silvia Rojas (Bolívia / Chile)
Tchello d´Barros (Brasil)
Uará (Chile/Bolívia)

+ Fiesta de Cierre con poesía y música Rap, Blues/Rock, Forró:

Coke Araya, de Magnolia Blues Rock y invitados
(Participacción: Brenda Marques, de Ablusadas)

Colectivo Flowrida (rap y breakdance)

Da Gota (Forró)

Realización: Poéticas Transculturales y Colectivo de Escritura Migrante.
Corealización: Imersão Latina, Alianza Cultural, Uará y Cultura Viva,
Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección.

El tercero encuentro de la escritura migrante es en el próximo més de noviembre en la capital chilena

PTC3

El tercero Encuentro Internacional de Escritura Migrante se realiza por un colectivo de escritura migrante conformado con participantes de 10 países, de 14 al 17 de noviembre de 2019, en Santiago, Chile, en varios espacios culturales: Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección.

El objetivo general del encuentro es intercambiar propuestas artísticas, el conocimiento cultural y el debate sobre la poética de los escritores intermedios, que viven o transitan por diferentes países desde su nacimiento y, por lo tanto, propone una producción poética de itinerancia y permite la producción cultural de estos escritores y artistas de diferentes países. puede ser conocido y experimentado también por el público participante.

Difundiremos la programación completa y más informaciónes del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com

Confirme presencia y invite amigos: https://www.facebook.com/events/375785596660407/

Inscriptos que presentarán propuestas artísticas en el encuentro:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antonio Barbosa (Portugal/Francia)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto Román (Chile)
Cláudia Vaca Flores (Bolívia)
Daniel Fernández (Uruguay)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia)
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Iván Verdugo (Chile)
Jéssica Muñoz (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia/ Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
Rodrigo Eduardo Leiva Cepeda (Chile)
Victoria Ramirez Ruiz (Colombia)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá (Chile)
Silvia Rojas (Bolívia / Chile)
Tchello d´Barros (Brasil)
+ Fiesta de Cierre con poesía y música Rap, Blues/Rock, Forró:

Coke Araya, de Magnolia Blues Rock y invitados
(Participacción: Brenda Marques, de Ablusadas)

Colectivo Flowrida (rap y breakdance)

Forró da Gota (Forró)

Realización: Poéticas Transculturales y Colectivo de Escritura Migrante,
Corealización: Imersão Latina, Alianza Cultural, Uará y Cultura Viva,
Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección.

Poéticas Transculturales – III Encuentro Internacional de Escritura Migrante tendrá una programación muy especial en Chile

WhatsApp Image 2019-10-06 at 16.57.41

25 participantes inscriptos representando 10 países  participan del encuentro de 14 a 16 de noviembre
Difundiremos la programación completa y más informaciónes del encuentro en los próximos días en: facebook.com/poeticastransculturales y imersaolatina.com
Contacto: poeticastransculturales2019@gmail.com
Espacios confirmados: Biblioteca de Santiago, Museo de la Educación Gabriela Mistral, Museo de la Memória, Librería Proyección
Realización: Poéticas Transculturales y Encuentro de Escritura Migrante, Imersão Latina, Alianza Cultural, Uará y Cultura Viva
Imagen: Graffitti del Colectivo Flowrida, un de los participantes del encuentro

Inscriptos que presentarán propuestas artísticas en el encuentro:

Amapola Araya Rojas (Chile)
Ana Straus (Uruguay)
Antonio Barbosa (Portugal/Francia)
Brenda Mar(ques) Pena (Brasil)
Carlos Soto Román (Chile)
Cláudia Cecília Vaca Flores (Bolívia/ Chile)
Elcio Lucas (Brasil)
Eli Rodriguez (Uruguay)
Erika Andrea Currea Toro (Colombia)
Giuseppe Camelia Intelisano (Itália/Argentina)
Iván Verdugo (Chile)
Jéssica Muñoz (Chile)
Jeison Oviedo Mercado (Colombia/ Chile)
Manuel Bustamante (Chile)
María Pugliese (Argentina)
Miguel Ángel Guajardo Guerrero (Chile)
Leo Lobos (Chile)
Liliana Peña (Chile)
Lucia Helena Issa (Brasil)
Rodrigo Eduardo Leiva Cepeda (Chile)
Victoria Ramirez Ruiz (Colombia)
Osmany Sabalza (Colombia)
Patricio Madiñá  (Chile)
Silvia Rojas (Bolívia / Chile)
Tchello d´Barros (Brasil)
+ Fiesta de Cierre con poesía y música Rap, Blues/Rock, Forró
Magnólia Blues Rock
(Participación: Brenda Marques/Ablusadas)
Colectivo Flowrida
Forró da Gota
Música (Rap principalmente) / Baile (breakdance y Afro) / Muralismo y Graffitti